quinta-feira, 1 de abril de 2021

Fiocruz Orienta Que População Fique Em Casa Na Páscoa: ‘Preserve a Vida’

Para a Páscoa, celebrada no próximo domingo (4), a orientação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é que a população fique em casa, apenas com as pessoas que já convivem juntas. E lembra: “nenhuma medida é capaz de impedir totalmente a transmissão da Covid-19”.
Ainda assim, para quem pensa em promover encontros durante a Semana Santa e no Domingo de Páscoa, a fundação atualizou uma cartilha de recomendações criada para as celebrações do fim do ano passado.
A principal recomendação é preservar a vida. A cartilha lançada pela instituição na quarta-feira (31) tem uma série de dicas para as famílias aproveitarem o momento com segurança sanitária.
Em 16 de março, o serviço de monitoramento da situação da pandemia da Fiocruz nos estados no país constatou que o “Brasil passa pelo ‘maior colapso sanitário e hospitalar da história”.

Recorde de mortes
O Brasil encerrou março como o pior mês da pandemia, com recorde de mortes desde o ano passado em dois terços do país. Foram 66.868 óbitos só em março.
No último dia 24, o Brasil superou a marca de 300 mil vidas perdidas por Covid-19 (veja vídeo abaixo). Só nesta quarta-feira, foram 3.950 mortes em 24 horas, o pior número até então.

Dicas gerais da cartilha da Fiocruz
Usar máscara sempre que não estiver bebendo ou comendo;
Ter uma máscara reserva, limpa e seca para o caso de sujar e precisar trocar;
Evitar aglomerações e mandar a distância de, pelo menos, dois metros;
Dar preferência a locais abertos ou bem ventilados;
Evitar o uso de ar-condicionado;
Lavar as mãos com frequência;
Não compartilhar objetos, como talheres ou copos.
O manual vale para quem vai celebrar a data em casa ou em outro local, e que eventualmente estejam expostas a diferentes níveis de contágio.
Traz, ainda, orientações sobre o número de convidados, preparação e serviço dos alimentos, e até quem deve evitar o encontro.

Por Bom Dia Rio.

Apresentador Da TV Bahia, Danilo Ribeiro é Internado Com Covid-19

O jornalista Danilo Ribeiro, que apresenta o Globo Esporte Bahia, na TV Bahia (Rede Globo), foi internado nos últimos dias após ter complicações da covid-19, doença que descobriu recentemente.
Ele chegou a apresentar o programa até o dia 24 de março, antes de ser afastado.
A doença evoluiu rápido. Segundo o Alô Alô apurou, ele deu entrada numa unidade médica de Salvador com baixa saturação e 50% do pulmão comprometido. Danilo chegou a ser colocado no oxigênio, o que fez a saturação melhorar e ele segue em tratamento.
Além de Danilo Ribeiro, outros colegas de TV Bahia dele também já tiveram a doença, como Camila Marinho, Luana Assiz e Mauro Anchieta, todos já curados. *Fonte: Correio 24h.

Após Alta De UTI De Hospital, Paciente Pede Para Tomar ‘Cerveja Gelada’

Internado por 27 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em um hospital de Blumenau-SC, devido a complicações da Covid-19, o paciente Eduardo Benke, de 61 anos, recebeu alta da unidade médica e fez um pedido especial para a equipe médica que estava cuidando dele: poder tomar uma cerveja bem gelada. As informações são do portal NSC Total.
Segundo o site da revista IstoÉ, uma semana antes de receber alta do Hospital Santo Antônio, os profissionais do local se mobilizaram para atender a vontade de Benke, que com a ajuda da nutricionista Ligia Batiston pode tomar uma cerveja sem álcool.
Após tomar a bebida, Benke comemorou em alemão: “das ist sehr heiß”, que traduzindo para o português é “essa é muito gostosa”. O paciente ganhou alta no último dia 30 de março. De acordo com o hospital, Benke saiu da unidade de saúde “feliz por estar indo para casa e rever toda a família”.

Fonte: Bahia. Ba.

Laudo Aponta Que Empresários Vacinados Às Escondidas Em BH Receberam Soro Fisiológico

Ainda não há indícios de vacina contra Covid nos materiais encontrados com a falsa enfermeira

Um laudo da Polícia Federal, obtido pela TV Globo, aponta que parte do material apreendido com a falsa enfermeira que teria vacinado empresários às escondidas em Belo Horizonte é soro fisiológico. Até o momento, não foram encontrados indícios de vacina contra Covid-19 na casa da cuidadora de idosos Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas.
A mulher teria vacinado pelo menos 57 pessoas em uma garagem da família Lessa, que comanda grande empresas de transporte da Região Metropolitana da capital mineira. Robson Lessa e Rômulo Lessa admitiram que organizaram a imunização que seria contra o coronavírus. 
“Os resultados dos exames são compatíveis com a descrição contida no rótulo do produto, ou seja, que o mesmo se trata de produto farmacêutico denominado soro fisiológico (solução cloreto de sódio)”, diz o documento.