sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

Epidemiologista Diz Que o Mundo Vai Experimentar ‘Overdose De Sexo’ Com o Fim Da Pandemia

De acordo com estudos do epidemiologista social Nicholas Christakis, da Universidade de Yale, dos EUA, em 2024 o mundo viverá uma “overdose de sexo, sacrilégios e gastança” com o final da pandemia da Covid-19. “Durante as epidemias, aumenta a religiosidade, as pessoas se tornam mais abstêmias, economizam dinheiro, ficam avessas ao risco e estamos vendo tudo isto agora, assim como aconteceu por centenas de anos durante as epidemias”, explicou ao jornal britânico “The Guardian” o especialista, que está lançando um livro sobre o tema. Para reforçar sua tese, ele fez uma associação com os anos posteriores a 1920, que serviram de resposta à gripe espanhola, que dominou o mundo em 1918. “As pessoas buscarão implacavelmente as interações sociais”, disse Christakis, nomeando a licenciosidade sexual, um reverso da religiosidade e um boom econômico como tendências prováveis.

Ministério Da Saúde: Vacinação Poderá Começar Em 20 De Janeiro

A vacinação contra a covid-19 pode começar no dia 20 de janeiro, segundo o Ministério da Saúde. Se não for possível, em um cenário “médio”, a imunização poderia ter início entre esta data e 10 de fevereiro. Em um cenário menos favorável, a vacinação no Brasil poderá ocorrer a partir de 10 de fevereiro.
A projeção foi apresentada pelo secretário executivo da pasta, Élcio Franco, em entrevista coletiva hoje (29) na sede do órgão, em Brasília. Franco destacou que o melhor cenário depende de uma conjunção de aspectos, especialmente dos laboratórios com vacinas em desenvolvimento cumprirem os requisitos de registro, seja emergencial ou definitivo.
“Isso [a vacinação no dia 20 de janeiro] vai depender de uma série de fatores, inclusive de logística, e dos laboratórios estarem em dia com o seu processo de submissão contínua e do  processo de registro com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Não depende de nós, depende do laboratório cumprir com a sua parte”, declarou.
Países como Estados Unidos, Reino Unido e nações da União Europeia já iniciaram planos de imunização contra a covid-19. Na América do Sul, a Argentina começou a aplicar um imunizante contra a doença em públicos prioritários.
Uma das opções cogitadas pelo Ministério da Saúde para a imunização da população brasileira é a vacina desenvolvida pela Pfizer - já autorizada nos Estados Unidos e na Europa. Mas até agora a empresa não deu entrada no pedido de autorização emergencial.
Ontem, a farmacêutica divulgou nota na qual afirmou que participou de reunião com a Anvisa no dia 14 de dezembro para “esclarecer dúvidas sobre o processo de submissão para uso emergencial” e que a solicitação não ocorreu até agora porque as “condições estabelecidas pela agência requerem análises específica para o Brasil, o que leva mais tempo de preparação.”
Segundo a Pfizer, entre as condições exigidas estaria o levantamento de dados sobre aplicação da vacina em brasileiros. Em agências de outros países, acrescentou a nota da empresa, a análise não faz distinções entre populações específicas.
A Pfizer argumentou que o processo demanda apresentação do quantitativo de doses, o que só poderia ser definido após a celebração de um contrato definitivo.

Bolsonaro Confirma Fim De Auxílio Emergencial e Minimiza Pandemia: "Toca a Vida"

O presidente Jair Bolsonaro confirmou hoje que o auxílio emergencial não terá continuidade em 2021 e minimizou mais uma vez a pandemia, apesar de o país já ter registrado mais de 7,5 milhões de casos de covid-19 e 192,7 mil mortes. Ao passear pela Praia Grande, no litoral paulista, Bolsonaro criticou os governadores por determinarem medidas de isolamento social, com o fechamento de comércios e serviços, e disse que mantém a mesma estratégia desde o começo da pandemia: “Toca a vida”. O presidente gerou aglomeração na praia e foi recebido por dezenas de apoiadores que não usavam máscaras, muitos deles idosos.
Bolsonaro ficou pouco mais de meia hora na praia, em visita gravada e divulgada em suas redes sociais. O presidente disse que o país se endividou para conter a pandemia e “chegou ao limite” em relação ao auxílio emergencial. “Sei que muitos cobram, querem coisa melhor e alguns esquecem até que estamos terminando um ano atípico, onde nós nos endividamos em R$ 700 bilhões para conter a pandemia, [para] dar o auxílio emergencial para quem perdeu tudo. Os informais, em grande parte, perderam tudo, a renda foi a zero. Querem que a gente renove [o auxílio emergencial], mas a nossa capacidade de endividamento chegou ao limite”, disse o presidente a uma pessoa de sua comitiva, que gravou a declaração e divulgou no Facebook de Bolsonaro.
Nesta terça-feira (29), a Caixa Econômica Federal pagou a última parcela do auxílio emergencial a 3,2 milhões de pessoas, encerrando o calendário de pagamentos. O programa foi lançado em abril para ajudar trabalhadores autônomos e desempregados, afetados pela pandemia. Em seguida, o presidente disse “pedir a Deus para que tudo volte à normalidade” e fez um apelo a alguns governadores que, nas palavras dele, “teimam em fechar tudo”. “Não deu certo, seis meses de lockdown não deu certo e essa política não pode continuar sendo dessa forma. O povo está aqui na praia. Nem vou falar que tem aglomeração. Como eu disse no começo, nós temos que enfrentar, tomar conta dos mais idosos, quem tem comorbidade. Toca a vida. E economia tem que andar de mão dada com a vida”, declarou o presidente.

Auxílio Emergencial: Redução Do Benefício Para R$ 300 Joga 11,6 Milhões Na Pobreza

Ajuda emergencial terminou oficialmente na última quinta (31).
Sem o auxílio emergencial e com uma inflação desigual, a pobreza vai superar os níveis de 2019 já no começo deste ano. Somente o corte do benefício à metade em setembro, quando passou de R$ 600 para R$ 300, e a inflação, que foi o dobro para as faixas de renda mais baixa, jogaram 11,6 milhões na pobreza desde agosto, segundo cálculo do economista e pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV) Daniel Duque.
A ajuda emergencial terminou oficialmente na ontem (31), e o governo ainda não anunciou como pretende atender à esse contingente de 65 milhões de pessoas que vinham recebendo o auxílio.
"Vai haver um grande pulo entre dezembro e janeiro, com aumento muito intenso da pobreza. Já estamos vendo isso ao longo dos últimos meses, de uma maneira mais gradual, porque as pessoas foram conseguindo o auxílio aos poucos. Está havendo alguma recuperação no mercado de trabalho, mas não o suficiente para compensar o auxílio", disse Daniel Duque ao jornal O Globo.

Salário Mínimo Passa a Ser De R$ 1.100 a Partir Desta Sexta-Feira

Valor representa uma alta de 5,26%; reajuste não se traduz em ganho real.
Começa a valer neste dia 1º de janeiro o novo salário mínimo nacional, de R$ 1.100. O valor representa uma alta de R$ 55, ou 5,26%, em relação aos R$ 1.045 vigentes em 2020.
O valor do salário mínimo está acima dos R$ 1.088 previstos pelo governo na proposta de alteração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), enviada em 15 de dezembro ao Congresso Nacional.
O salário mínimo é corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A expectativa é de que o indicador tenha alta de cerca de 5,2% em 2020 (os dados oficiais serão divulgados em 12 de janeiro). Com isso, será mais um ano sem alta real no salário mínimo.
A maioria dos estados brasileiros, incluindo a Bahia, segue o valor estabelecido pelo governo federal, mas algumas localidades adotam um piso regional, superior ao valor nacional. Em 2021, cinco estados terão seu próprio salário mínimo: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 

Neymar Responde Notificação Do MP e Nega Que Tenha Organizado Festa De Réveillon Em Mangaratiba

Jogador informou que passaria a noite de réveillon ao lado de amigos e familiares.
O jogador Neymar respondeu ontem (31) à notificação enviada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que investiga uma festa de réveillon supostamente organizada por ele em um condomínio em Mangaratiba, no Rio de Janeiro.
A 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Angra dos Reis informou que Neymar alegou, em sua resposta, que passaria a noite de réveillon ao lado de amigos e familiares e que não está promovendo nenhuma festa em Mangaratiba.
As investigações ainda estão em andamento. A promotoria informou que tomará as medidas cabíveis em caso de desrespeito, por parte de organizadores, de qualquer festa privada em relação aos decretos vigentes. Fonte: Metro1.