terça-feira, 26 de outubro de 2021

Após Novos Aumentos Da Petrobras, Combustível Fica Mais Caro Hoje


Petrobras anuncia reajuste de 9,15% e 7,05% para o diesel e a gasolina nas refinarias, com a justificativa de "demanda atípica" para o mês de novembro. Especialistas preveem novos aumentos, em razão da cotação do petróleo e das incertezas na política econômica.

O consumidor deve preparar o bolso para novo aumento no preço dos combustíveis. A Petrobras anunciou, ontem, reajuste do diesel e da gasolina nas refinarias de 9,15% e de 7,05%, respectivamente. Os valores passam a vigorar a partir de hoje. Mas, com a forte alta no barril do petróleo no mercado internacional e o dólar cada vez mais valorizado, a tendência é de que o combustível para o consumidor sofra novos reajustes neste ano e no ano que vem, alertam especialistas. Segundo eles, a inflação dos combustíveis está relacionada à falta do produto no mercado externo, mas também às incertezas acerca das contas públicas, após o governo admitir que poderá estourar o teto de gastos para ampliar o Bolsa Família.
De acordo com o comunicado da estatal, o preço médio do litro do diesel passará de R$ 3,06 para R$ 3,34, alta de 28 centavos por litro. Enquanto isso, o litro da gasolina será reajustado em 21 centavos, passando de R$ 2,98 para R$ 3,19. “Esses ajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”, informou a estatal no comunicado. “O alinhamento de preços ao mercado internacional se mostra especialmente relevante no momento que vivenciamos, com a demanda atípica recebida pela Petrobras para o mês de novembro de 2021”, acrescentou a Petrobras.
Conforme informações da petrolífera, considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina o reajuste na bomba poderá ser menor para o consumidor. “O preço da gasolina na bomba passará a ser de R$ 2,33 por litro em média. Uma variação de R$ 0,15 por litro”, destacou a nota informando que, no caso do diesel, por conta da mistura de 12% do biodiesel, o preço nos postos terá uma variação média de R$ 0,24.
Mas analistas alertam que a Petrobras ainda deve continuar reajustando os combustíveis, por conta da política de paridade com os preços internacionais. A defasagem dos preços no mercado doméstico, segundo eles, continua abaixo dos valores praticados no mercado externo. Pelos cálculos de Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), destacou que, com o aumento que passa a vigorar a partir de hoje, a diferença dos preços do da gasolina em relação ao praticado lá fora para a estatal está em 11% e, no caso do diesel, em 13%. “Os reajustes devem continuar ocorrendo nos próximos meses, porque não vejo o preço do petróleo cair e, muito menos, o dólar”, afirmou Pires. Ele, inclusive, minimizou a queda de ontem da divisa norte-americana, que recuou para R$ 5,55. “Foi muito baixa; o dólar vai continuar valorizado”, alertou. Segundo ele, essa pressão no câmbio está relacionada com as incertezas internas e com a aproximação das eleições no ano que vem. “O dólar sempre sobe quando há eleição”, observou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário