quinta-feira, 15 de julho de 2021

Assassinato Misterioso De Vereador Intriga População De Irará

Na terra que se destaca pelo plantio da mandioca, paira um mistério: quem teria motivos para matar o vereador da cidade de Irará, José Roberto Alves de Oliveira, o Beto Cicatriz (MDB)? A população de pouco mais de 29 mil habitantes amanheceu nesta segunda-feira (12) se perguntando o porquê do crime, já que político não era tão popular. Ele foi morto na porta de casa na madrugada deste domingo (11) na zona rural, após homens armados o chamarem pelo nome.  
“Foi uma surpresa tão grande. Fiquei sabendo pelo pronunciamento da prefeitura, em um post numa rede social. Na hora tomei um susto. A cidade toda ainda está digerindo a informação, porque não há motivos aparentes. Aqui, quando se mata, a pessoa ou era envolvida com o tráfico ou com agiotagem e isso não se aplica nele. A cidade é pequena e se fosse alguma coisa ligada a isso todo mundo saberia. Ele era uma pessoa que se destacava, não gostava de aparecer, de holofotes, era uma pessoa comum. Foi a primeira eleição dele”, declarou um comerciante de Irará.
A Polícia Civil ainda não tem autoria e nem a motivação para o crime. “Testemunhas serão ouvidas, nesta segunda-feira, na unidade policial. Os levantamentos iniciais já foram realizados. A vítima estava sozinha e a única coisa levada pelos suspeitos foi seu aparelho celular. A ocorrência foi atendida, inicialmente, por um delegado do Plantão Regional. O titular da cidade estava de férias, mas retornou hoje e vai dar prosseguimento às apurações”, disse a PC, em nota.
Beto Cicatriz foi eleito em 2020 com 446 votos. A morte dele foi lamentada pelo presidente da Câmara de Vereadores, Genivaldo Batista. “Uma perda muito grande ter um colega assassinado brutalmente.. Procuramos razões e não achamos.  Ficamos estarrecidos com essa situação”, declarou Batista.  Ele era conhecido como uma pessoa de gênio forte, apesar de não gostar de publicidade. Na última eleição, apoiou o atual prefeito Derivaldo Pinto (PT).
“Ele foi eleito na coligação do prefeito e cobrava algumas coisas, mas não era oposição. A gente sentava e conversava diretamente com o prefeito, mas não tinha nenhum problema ferrenho. Tinha cobrança para fazer uma estrada, por exemplo, mas o prefeito não tinha condições de fazer no momento, por conta de ter encontrado o município sucateado. A gente tem só seis meses de governo e às vezes não dava para se fazer tudo, de atender os pedidos de todos os vereadores, como o meu e de outros colegas”, disse o presidente da Câmera dos Vereadores, que decretou luto de três dias na repartição.  
Gravação - No entanto, apesar da relação estreita com  o prefeito, Beto Cicatriz teria usado um áudio para fazer duras críticas à gestão no enfrentamento à covid-19.  “Gente vamos nos unir e pedir uma reunião urgente com o prefeito, pelo amor de Deus. Já tem o descaso com a água, com os tratores e agora o pior: a saúde pública. A minha região, Jardim Sacro, está infectada. Tem casa lá que tem 10, 12 moradores. Hoje mesmo fui lá, pedi ao pessoal da saúde para fazer uma testagem, pelo menos numa dessas casas. Foram lá e pegaram apenas o dono da casa. Não foi ninguém para informar nada sobre isolamento para proteger um ao outro. Descaso está demais. A gente elegeu Derivaldo para mudar, mas está pior. O governo passado foi ruim, mas esse está deixando a desejar em tudo”, diz trecho da gravação.
Em um outro áudio, atribuído ao vereador, mais críticas ao prefeito “Estou pedindo pelo amor de Deus que faça essa testagem lá e até agora não recebi resultado nenhum e estou preocupado, porque pessoas que estão infectadas estão tendo contato com todo mundo e isso não pode estar acontecendo. Na realidade, acredito que o nosso município está entregue às baratas. Não é possível tanto descaso desse jeito. São vidas. Fico revoltado que tem vereador que vai para Câmara defender secretaria de saúde, que está fazendo um bom trabalho”, disse a gravação.  
Procurado, o prefeito de Irará Derivaldo Pinto comentou as declarações de  Beto Cicatriz. "Lamento a morte de um vereador do nosso município, recém-eleito em seu primeiro mandato e não acredito que tenha sido uma morte política. Ninguém sabe o que aconteceu muito bem, mas não tenho conhecimento de nenhuma questão política ou pessoal recente que pudesse motivar esse crime", afirmou o prefeito.
Homicídio há 20 anos - Entretanto, alguns anos atrás a situação era outra. "Há 20 anos, ocorreu um episódio em que ele deu um tiro na namorada. Mas não acredito que a motivação tenha sido essa. O município está perplexo, porque a vida dele parecia pacífica nos últimos anos", disse o prefeito.
Na ocasião, Beto foi preso em flagrante e posteriormente passou a responder pelo crime em liberdade. A reportagem perguntou à Polícia Civil quanto à possibilidade do crime de 20 anos atrás estar ligado à morte do vereador.   “Ainda não há detalhes sobre a relação entre o crime ocorrido há 20 anos e o caso atual”, disse a PC.
Antes de ser político, Beto Cicatriz produzia eventos em Irará. Pouco antes da pandemia, ele realizava vaquejadas, algumas eram num parque construído no terreno da própria família, na zona rural. Anteriormente, há cerca de 15 anos, ele foi o responsável por levar ao município atrações de peso no período junino, como as bandas Mastruz com Leite, Cavaleiros do Forró e Cavalo de Pau. “Era festas boas. A cidade lotava. Vinha gente de todos os cantos para o São João. Mas após a briga com uma mulher, ele deu uma sumida”, contou um outro comerciante.
Com um porte físico de chamar a atenção, ele era tido como mulherengo. “Todo o lugar onde ia, era notada por alguma mulher, pelo fato de ser alto e forte. Muitas vezes essas elas eram comprometidas e em alguns casos tudo acabava em confusão”, contou um morador da cidade.
Crime - O vereador foi encontrado morto neste domingo (11). Testemunhas afirmam que o político foi baleado na porta de casa.  "É com imenso pesar que a Prefeitura Municipal comunica o falecimento de José Roberto Alves de Oliveira (Beto Cicatriz), vereador do município. Neste momento de dor, prestamos condolências a seus familiares", declarou a prefeitura de Irará, em nota nas redes sociais.
A Polícia Militar informou que policiais da 97ª CIPM foram acionados, por volta das 8h deste domingo, para averiguar a informação de que havia um corpo do sexo masculino, sem vida no parque Célia Cerqueira, zona rural do município de Irará. "No local, a guarnição constatou a veracidade do fato, isolou a área e acionou o Departamento de Polícia Técnica (DPT)", afirmou. Em nota, a Polícia Civil disse que está apurando o caso. Beto, que tomou posse em janeiro de 2021, era agricultor e solteiro.
Em nota, Nássara Santana, presidente do Diretório Municipal do Movimento Democrático Brasileiro de Irará, lamentou o ocorrido. "Hoje acordamos com uma péssima notícia, perdemos de forma trágica o vereador e membro do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) José Roberto Alves da Silva, popular Beto Cicatriz", diz um trecho.
A nota destaca, ainda, que segundo informações do Blog do Tavares, o vereador foi surpreendido por gritos na frente da sua casa, por volta das 4h da manhã. "Ao sair para atender ele foi surpreendido com disparos. Infelizmente o vereador não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. Lamentamos muito, pois perdemos um homem íntegro, que trabalhava em prol do seu povo, perdemos um pai, filho, marido e um amigo. Acreditamos que a justiça será feita, e esse crime bárbaro não passará impune", completou.
Beto Cicatriz foi enterrado na manhã desta segunda no cemitério da cidade. Ele deixou quatro filhos, cada um com uma mulher diferente. Com a atual companheira, ele não deixou herdeiros. 

Matéria publicada originalmente no site Correio24horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário