sábado, 12 de junho de 2021

Bactérias Implantadas Em Mosquito Reduzem Em 77% Casos De Dengue

Um estudo realizado em Yogyakarta, na Indónesia mostra redução de 77 por cento dos casos de dengue em locais que receberam o mosquito Aedes Aegypti infectado com a bactéria Wolbachia.
A mesma técnica está sendo usada no Brasil pela Fiocruz, e é chamada de Método Wolbachia. As ações iniciaram no Rio de Janeiro (RJ) e em Niterói (RJ), em uma área que abrange um milhão e 300 mil habitantes.
O estudo publicado pelo The New England Journal of Medicine que também inclui pesquisadores da Austrália, revelou ainda que houve uma redução de 86% das hospitalizações nas áreas onde é aplicado o método, e para todos os sorotipos de dengue.

Vírus bloqueado:
A bactéria Wolbachia impede a replicação do vírus no pernilongo – sem vírus, ele não transmite a doença.
“Este resultado demonstra como a Wolbachia pode ser um novo método para o controle da dengue que é seguro, sustentável e eficaz.
É exatamente o que a comunidade global precisa,”, destacou Cameron Simmons, pesquisador da Universidade de Monash, da Austrália, um dos coordenadores do estudo.

Resultados no Brasil:
Em Niterói, dados preliminares já apontam redução de até 77% dos casos de dengue e 60% de chikungunya nas áreas que receberam os Aedes aegypti com Wolbachia, quando comparado com áreas que não receberam.
Atualmente, o projeto está em expansão para Campo Grande (MS), Petrolina (PE) e Belo Horizonte (MG).

Com informações do Diário da Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário