sábado, 20 de junho de 2020

OMS Vê Brasil Caminhando Para Estabilização, Mas Sugere Reforço De Medidas De Distanciamento

Foto: Reprodução/Pixabay

O diretor-executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, vê sinais de estabilização da pandemia no Brasil, mesmo que a situação ainda seja grave no país. Ryan ressalta que “este é o momento de redobrar a cautela, pois já vimos em outros países que uma estabilização pode rapidamente se transformar em um aumento”. As afirmações foram feitas nesta quarta-feira (17). Ryan sugeriu o reforço de medidas de distanciamento físico e higiene, além da garantia que as comunidades mais carentes recebam apoio para segui-las. As informações são da Folha de S. Paulo. “O Brasil tem uma história de sucesso no combate a pandemias e, se trabalhar de forma coordenada mantendo as medidas de saúde pública em todos os níveis, não há por que não tenha sucesso desta vez também”, disse ele. Cálculos divulgados pelo Imperial College, uma das principais instituições globais de pesquisa de epidemias, mostraram que a velocidade de contágio por coronavírus no Brasil se reduziu pela terceira semana seguida.

Covid-19: Brasil Bate Marca De 1 Milhão De Casos Confirmados

País tem 49.954 mortes em função da doença e 507.200 se recuperaram

Agência Brasil - O Brasil bateu a marca de 1 milhão de casos confirmados. Segundo balanço diário do Ministério da Saúde divulgado hoje (19), com 54.771 novos casos, o país chegou a 1,03 milhão de pessoas infectadas. O número marca um aumento de 5,5% em relação a ontem, quando o ministério contabilizava 978.142 pacientes nesta condição.
A atualização da pasta também registrou 1.206 novas mortes registradas em função da covid-19. Com esses acréscimos às estatísticas, o país chegou a 49.954 óbitos em função da pandemia do novo coronavírus. O número marcou um crescimento de 2,5% no número de mortes em relação a ontem (18), quando o total estava em 47.748.
Os registros são menores aos domingos e segundas-feiras em função da dificuldade de alimentação dos dados aos fins-de-semana, e quantidades maiores às terças-feiras, em razão do acúmulo de notificações atualizadas no sistema.
A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,7%. A mortalidade (falecimentos por 100.000 habitantes) foi de 23,3. Já a incidência (casos confirmados por 100.000 habitantes) ficou em 491,5. Do total, 476.759 estão em observação e 507.200 foram recuperados.


Estados:
São Paulo lidera entre os estados com maior número de mortes, com 12.232, seguido por Rio de Janeiro (8.595), Ceará (5.460), Pará (4.469) e Pernambuco (4.102). Ainda figuram entres as unidades da federação com altos índices de óbitos em função da pandemia Amazonas (2.624), Maranhão (1.645), Bahia (1.305), Espírito Santo (1.265), Alagoas (848) e Paraíba (724).
A lista dos estados com mais casos é: São Paulo (211.658), Rio de Janeiro (93.378), Ceará (89.863), Pará (80.072) e Maranhão (68.500).

Ministério:
Em nota, o Ministério da Saúde informou que o aumento no número de casos registrados de ontem para hoje se deu, em parte, devido a uma instabilidade na rotina de exportação dos dados relatados, principalmente, pelos estados da Bahia, do Rio de Janeiro e de São Paulo na última quinta-feira (18). A nota do ministério informa que, juntos, os três estados representaram um incremente de 27.436 casos novos em relação ao dia anterior.
O ministério explicou, em nota, que existem duas formas de exportação de dados do sistema e-SUS Notifica: diretamente do aplicativo ou por meio de uma aplicação (API). Este último utiliza tecnologia mais leve e é indicado para grandes volumes de dados, que é o caso de secretarias estaduais de Saúde e de grandes municípios. “Ocorre que algumas unidades da federação utilizaram o aplicativo para exportação de dados, o que não é recomendado”, diz o ministério.
Segundo a nota, o ministério orientou “estas localidades a usar somente a exportação via API, que já vinha sendo utilizada pelos estados em momentos anteriores. Em todo caso, o Departamento de Informática do SUS (Datasus) trabalha para oferecer esta mesma tecnologia (aplicativo) para os municípios que tenham um grande volume de dados.”

Ministério Da Saúde Publica Plano De “Retomada Segura” e Orientações De Combate à Covid-19


O Ministério da Saúde publicou nesta sexta-feira (19) no Diário Oficial da União um conjunto de protocolos a serem seguidos no combate à Covid-19 no Brasil para viabilizar uma “retomada consciente” das atividades. Entre as providências estão recomendações individuais como lavar as mãos, protocolos de higienização a serem adotados por empresas e orientações sobre o uso do transporte público. Segundo o próprio texto, as normas “têm por objetivo apoiar as estratégias locais para retomada segura das atividades e do convívio social, respeitando as especificidades e características de cada setor ou ramo de atividade”. De acordo com o texto, cabe “às autoridades locais e aos órgãos de saúde locais decidir, após avaliação do cenário epidemiológico e capacidade de resposta da rede de atenção à saúde”. O Brasil é hoje o segundo país do mundo com mais casos (978.142) e mais óbitos (47.748) em decorrência do novo coronavírus (Sars-Cov-2), atrás apenas dos Estados Unidos nas duas estatísticas. Nesta quinta, pelo terceiro dia seguido, o balanço do Ministério da Saúde confirmou mais de 1.200 mortes registradas em um dia. Fonte: Por iG.

Pai, Mãe e Filha Deixam Hospital No Mesmo Dia Após Se Curarem Da Covid-19

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Um casal e a filha deixaram o Hospital Regional de Luziânia na tarde de quinta-feira (18) após se curarem da Covid-19. Eles agradeceram com cartazes pelo tratamento recebido e pela atenção da equipe médica. Um vídeo mostra quando os três são aplaudidos pelos profissionais da unidade ao receberem alta. Adilson Anacleto da Silva, de 58 anos, e a esposa, Neurade Silva, de 61, foram internados no dia 9 de junho. Já a filha deles, Lorena Silva, de 29, foi internada no dia 13. Ao saberem do parentesco entre os pacientes, a unidade decidiu colocá-los no mesmo quarto. Ao receberem alta, o choro nos rostos deles era de alegria. Em cartazes, escreveram agradecimentos a toda equipe. Além dos três, outros dois familiares, a mãe de Adilson e um filho do casal, também testaram positivo para o coronavírus, mas acabaram morrendo em um hospital da Brasília “Nós perdemos dois em Brasília, mas estamos feliz pelo retorno deles [três familiares que receberam alta] em casa. Estamos muito feridos, tristes, mas agora vamos ficar mais próximos um do outro”, disse o professor Atenilton Oliveira da Silva, parente dos pacientes curados.