quarta-feira, 17 de junho de 2020

No Combate à Covid-19, Enfermeira Se Desloca De Jegue Para Atender Famílias


A dificuldade de acesso não impede que a enfermeira Monaliza Oliveira chegue até as famílias das áreas rurais do município de Boa Vista do Tupim, na Chapada Diamantina. Se não dá de carro, ela vai até de jegue.
Monaliza trabalha na sede de um Posto de Saúde da Família, que abrange também o assentamento Aliança e comunidade das Trezentas, comunidades que ficam na área rural.
Embora a prefeitura da cidade forneça o transporte para chegar até esses locais, a enfermeira prefere utilizar um jegue ou montar na garupa da moto de um funcionário do posto para driblar o acesso restrito e as condições da pista durante o período chuvoso, como ela conta.
“A prefeitura fornece o transporte para que a gente se desloque nessas duas localidades, todavia tem casas, sítios e fazendas que são um pouco mais distantes, e o acesso fica um pouco restrito, porque estamos em uma época de chuva, e as estradas ficam complicadas”, disse.
“Para agilizar o acesso de forma dinâmica para prestar atendimento a todos, a gente acaba utilizando a moto, às vezes vai a pé, às vezes de jegue. Mas a gente vai. E é assim que funciona”, contou.
As fotos de Monaliza montada em cima do jegue chamam atenção. Entretanto, a enfermeira conta que, por ter nascido ali mesmo em Boa Vista do Tupim, ela tira a situação de letra.


“Eu já sabia, porque sou daqui do município. Nasci em Feira de Santana, mas cresci em Boa Vista do Tupim. Saí para estudar Enfermagem e retornei. Já sabia andar de cavalo, de jegue. A gente faz de tudo um pouco”, afirmou.
Dos oito anos de formada, Monaliza Oliveira passou a maior parte trabalhando na cidade onde cresceu. A profissão é influência da mãe, enfermeira aposentada, que saiu de Itaberaba para trabalhar em Boa Vista do Tupim, onde conheceu o marido.
Na última visita que fez às comunidades na área rural, Monaliza aplicou a vacina contra a H1N1, além de fornecer um kit com equipamentos de proteção ao coronavírus.
Os moradores da região, segundo ela, ficam bastante satisfeitos com a visita em “transportes alternativos”.
“É bem tranquilo quando a gente chega, e o pessoal recebe a gente super bem, porque fica muito feliz em ver que não medimos esforços para levar o melhor para todos, independentemente da distância. A gente arregaça as mangas e alcança”, disse.
Boa Vista do Tupim registrou um caso de coronavírus há cerca de um mês, de uma paciente que já é considerada curada. Nesta segunda (15), outro caso foi confirmado. Fonte: Noticias de Santaluz.

Tucano: Jovens Tentam Atravessar Rio Montados Em Cavalos e São Arrastados Pela Correnteza


Com o auxílio de uma moto aquática, militares do Corpo de Bombeiros encontraram os corpos de dois jovens que se afogaram no rio Itapicuru, na cidade de Tucano, a 83 km de Serrinha. Mércio Pimentel Noronha, de 26 anos, e Mauricio Oliveira dos Santos, de 22, teria tentando atravessar o rio montados em cavalos, quando foram arrastados pela água. Apenas os animais concluíram a travessia.
O caso ocorreu no último domingo, 14, na localidade conhecida como Varginha do Curtum, na região do distrito de Caldas do Jorro. Segundo informações do repórter Gil Santos, o corpo de Mércio Noronha foi localizado no fim da manhã desta segunda-feira, 15, a cerca de 700 metros do local onde ocorreu o afogamento. Já o corpo de Mauricio dos Santos foi encontrado por volta das 12h desta terça-feira (16). Ainda segundo Gil Santos, o corpo de Mércio foi sepultado nesta terça, às 10h30, no cemitério do distrito de Tracupá. Não há informações sobre o velório e sepultamento da outra vítima.
O rio Itapicuru corta alguns povoados da cidade e desagua no mar, no vilarejo de Siribinha, no município de Conde. A travessia é curta, tem aproximadamente 50 metros entre uma margem e outra e alguns moradores costumam fazer com frequência. Mas, com as chuvas que caíram nos últimos meses, o nível da água subiu e o rio transbordou, fazendo o leito aumentar bastante, assim como a vazão.

Trabalho de buscas foi realizado por mergulhadores e equipes em terra

As vítimas tentaram atravessar ponte inundada, quando foram arrastados

Caso ocorreu no último domingo, 14, na localidade conhecida como Varginha do Curtum

Vacina Contra a Covid-19 Deve Ficar Pronta Em Quatro Meses, Mas Só Tem Eficácia De Um Ano


A vacina contra a Covid-19 em desenvolvimento pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, fornecerá proteção contra a infecção por cerca de um ano, disse o presidente da farmacêutica AstraZeneca, parceira da instituição de ensino britânica, a uma estação de rádio da Bélgica nesta terça-feira (16). A farmacêutica e a universidade já iniciaram os testes em humanos, com participação de voluntários brasileiros, inclusive. O estudo em fase 1 no Reino Unido está prestes a ser concluído, e um outro em fase 3 foi iniciado recentemente.
"Acreditamos que ela irá proteger por cerca de um ano", disse Pascal Soriot, presidente da AstraZeneca. A AstraZeneca informou no sábado (13) que assinou contratos com França, Alemanha, Itália e Holanda para fornecer até 400 milhões de doses da vacina à União Europeia, quando e se ficar pronta. A empresa também fechou acordos com o Reino Unido e com os Estados Unidos.
"Se tudo correr bem, teremos os resultados dos ensaios clínicos em agosto/setembro. Estamos fabricando em paralelo. Estaremos prontos para entregar a partir de outubro", acrescentou.

Fases de uma vacina - Para chegar a uma vacina efetiva, os pesquisadores precisam percorrer diversas etapas para testar segurança e resposta imune. Primeiro há uma fase exploratória, com pesquisa e identificação de moléculas promissoras (antígenos). O segundo momento é de fase pré-clínica, em que ocorre a validação da vacina em organismos vivos, usando animais (ratos, por exemplo). Só então é chegada à fase clínica, em humanos, em três fases de testes:

- Fase 1: avaliação preliminar com poucos voluntários adultos monitorados de perto;
- Fase 2: testes em centenas de participantes que indicam informações sobre doses e horários que serão usados na fase 3. Pacientes são escolhidos de forma randomizada (aleatória) e são bem controlados;
- Fase 3: ensaio em larga escala (com milhares de indivíduos) que precisa fornecer uma avaliação definitiva da eficácia/segurança e prever eventos adversos; só então há um registro sanitário.

Depois disso, as agências reguladoras precisam aprovar o produto, liberar a produção e distribuição. Entre as vacinas em testes em fase clínica, algumas aparecem em estágio mais avançado, como a desenvolvida por Oxford, em fase 3.
A vacina do Reino Unido é produzida a partir de um vírus (ChAdOx1), que é uma versão enfraquecida de um adenovírus que causa resfriado em chimpanzés. A esse imunizante foi adicionado material genético usado para produzir a proteína Spike do SARS-Cov-2 (que ele usa para invadir as células), induzindo a criação de anticorpos.
A vacina desenvolvida por Oxford será testada em dois mil brasileiros durante três semanas, no Rio de Janeiro e em São Paulo. O Brasil é o primeiro país fora do Reino Unido que vai começar a testar a eficácia da imunização contra o Sars-CoV-2. No Rio de Janeiro, os testes em mil voluntários serão feitos pela Rede D’Or São Luiz, com custo de cerca de R$ 5 milhões bancados pela Rede e sob coordenação do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor).
Em São Paulo, os testes em outros mil voluntários serão conduzidos pelo Centro de Referência para Imunológicos Especiais (Crie) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com financiamento da Fundação Lemann.
Antonio Carlos Moraes, um dos pesquisadores da equipe do Idor, responsável pelos testes no Rio explicou que seu grupo se prepara para um esforço que deve durar até a última semana de junho, com a triagem e aplicação da imunização nos voluntários.
Os participantes deverão serão submetidos a testes para confirmar que não foram infectados pela Covid-19 para poder seguir com o experimento. "Primeiro precisamos seguir as regras de segurança", disse o especialista que espera receber muitos voluntários interessados em participar da pesquisa. Neste momento, são os profissionais da saúde –que estão em maior contato com pacientes infectados – que têm a prioridade para os testes.
A regra é a mesma para os dois centros de testagem, tanto no Rio como em São Paulo, poderão se inscrever como voluntários profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, além de adultos entre 18 e 55 anos que também trabalhem em ambientes de alto risco para exposição ao vírus.
A Unifesp especificou por meio de um comunicado, que motoristas de ambulâncias, seguranças que trabalhem em hospitais e agentes de limpeza de hospitais também poderão se inscrever. Entretanto, a entidade esclareceu que ainda não foi iniciado o processo de recrutamento. "A previsão é de que os procedimentos no Brasil comecem ainda em junho", garantiu em nota.

Uso De Máscaras Por 100% Da População Pode Levar Ao Fim Da Pandemia, Diz Estudo


Um recente estudo realizado pelo cientista-pesquisador da Universidade de São Francisco, Jeremy Howard, revelou que o uso de máscaras pode erradicar, ou seja, levar a quase zero, o contágio ocasionado pela pandemia do novo coronavírus.
De acordo com o levantamento, publicado no The Washington Post, se 100% das pessoas usarem máscaras, mesmo que cada uma tenha uma efetividade baixa, o índice de contágio pode chegar ao número inicial, ou seja, quase zero. Sendo assim, a pandemia acaba.
Máscaras eficazes para achatar a curva podem ser feitas em casa com nada mais que uma camiseta e uma tesoura. E, segundo o estudo, todos devem usá-las sempre que estiverem em público. “É o chamado efeito de rede. A minha máscara te protege e a sua máscara me protege”, afirma Jeremy.
Dada uma efetividade de 60%, se ao invés de 20% das pessoas usarem máscaras, o dobro dessas pessoas usarem, o fator de redução (R0) da epidemia cai de 2 para 1. Em se tratando de exponenciais, essa redução tem um efeito monstruoso, como mostra a imagem abaixo.
A aderência está mostrada numa escala de 0 a 100, embaixo a eficácia da máscara em porcentagem e o gráfico apresenta queda nos números de contaminação.
Esse é o exemplo seguido por Hong Kong, Mongólia, Coréia do Sul e Taiwan, todos com 19 covid sob controle. Eles estão todos perto do epicentro original da pandemia na China continental e têm laços econômicos com a China. No entanto, ninguém recorreu a um bloqueio, como na província chinesa de Wuhan. Em todos esses países – atingidos brutalmente pelo surto de SARS em 2002 e 2003 – a população está usando máscaras em público.
ACB distribui máscaras – A Associação Comercial da Bahia (ACB) lançou uma campanha para compra e distribuição de máscaras, como cortesia pela Leiaute Propaganda. A ação visa reduzir a propagação do vírus durante a pandemia do novo coronavírus.
O projeto já adquiriu 200 mil máscaras e pretende passar deste número. As pessoas interessadas em doar podem realizar esse desejo através de transferência bancária em dados divulgados no site da ACB.

Ministro Barroso Confirma Que Há Consenso Médico Por Adiar As Eleições


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, informou ontem (8), aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que a Corte tem “consenso médico” em favor do adiamento das eleições de 2020.
Barroso e o vice-presidente do TSE, ministro Edson Fachin, afirmaram que o tribunal consultou oito especialistas e estes afirmaram que é necessário adiar o pleito “por algumas semanas”. Os profissionais, segundo o TSE, são das áreas de epidemiologia, infectologia, saúde pública, física aplicada à estatística e biologia.
De acordo com a Corte, os ministros sugeriram que o pleito seja realizado entre a segunda quinzena de novembro e o começo de dezembro. Para que as eleições, previstas para os dias 4 e 25 dezembro, sejam adiadas, o Congresso deve aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição).
Há uma rejeição por parte dos ministros quanto à possibilidade de adiar o pleito para 2021, uma vez que os prefeitos e vereadores votados serão eleitos para substituir os atuais ocupantes dos cargos já no começo do ano. Além da dificuldade legal, Barroso afirmou que “não muda muito do ponto de vista sanitário”. “Eles acham que agosto, setembro, a curva pode ser descendente. Endossaríamos, portanto, a ideia de adiar por algumas semanas”, disse o presidente do TSE aos parlamentares.
A pedido de Maia e Alcolumbre, os líderes dos partidos representados no Congresso Nacional se reunirão com os especialistas que orientam o Tribunal. Além do adiamento da data, Barroso reforçou aos congressistas que entende que os cuidados devam ir além da data.
O ministro relatou a possibilidade de ampliar a votação para 12 horas e buscar campanhas que permitam escalonar a votação por faixa etária, além de buscar doações para que o TSE possa fornecer materiais de proteção, como máscaras e álcool em gel. As informações são do bahia.ba.

Ônibus Que Saiu De SP Para a Bahia Com 32 Passageiros Tinha 11 Infectados Por Covid-19


Um ônibus da empresa Moacir Tur saiu da área externa da rodoviária de Socorro, na grande São Paulo, com destino a Nova Soure, Nordeste da Bahia, na manhã de sexta-feira, dia 05, com 32 passagens abordo, sendo que destes 11 estavam contaminados pela covid-19.
O ônibus chegou ao final da rota na madrugada de domingo com 14 passageiros, que 11 estavam infectados com coronavírus após passarem pelos testes rápidos. As outras 18 pessoas desembarcaram nas cidades de Santo Estevão (um homem), Feira de Santana (homem), Alagoinhas (um homem), Sátiro Dias (um homem), Inhambupe (quatro mulheres e três homens), Cipó (duas mulheres), Crisópolis (Um casal) e três homens em Olindina.
O secretário de Saúde de Nova Soure, Ernesto Costa Lima Júnior, falou ao CN sobre os casos diagnosticados positivo dos passageiros submetidos aos testes rápidos. O ônibus foi interceptado antes da cidade, mas a Prefeitura já havia sido informada da relação nominal dos passageiros e o horário que chegaria ao final destino, em um acerto previamente com os donos da empresa no repasse destas informações. Fonte: Calila Notícias.


Riachão do Jacuípe: Homem Quebra Vidro Em Hospital Após Recepcionista Pedir Pra Ele Usar Máscara


Um ato de vandalismo foi registrado pela Polícia de Riachão do Jacuípe na noite de sábado, 13, quando um homem conhecido por Humberto caminhoneiro teria tentado entrar no Hospital Municipal sem a máscara e quando a recepcionista pediu que colocasse a proteção que por lei é uma exigência em todo o País, ele não aceitou e enfurecido teria saído e voltado com uma pedra que foi atirada contra o vidro da recepção.
Uma funcionária que pediu para não ser identificada disse que o homem apresentava sinais de embriaguez ao chegar ouviu o pedido com delicadeza da recepcionista, “mas ele se recusou, foi lá fora pegou uma pedra e começou quebrar o vidro da recepção do hospital e evadiu do local após a Polícia ser acionada”, contou a funcionária.
“Isso não pode acontecer, os profissionais de saúde dando o sangue para entrar na linha de frente de uma pandemia dessa, aparece pessoas com atitudes deste tipo”. lamentou a funcionária que afirmou ainda que não é a primeira vez que um homem se altera quando funcionários pedem pra usar máscara. Fonte: Calila Notícias.



Oxford Encontra 1º Remédio Capaz De Reduzir Mortes Por Covid-19


Finalmente uma notícia animadora diante da grande pandemia de Covid-19 que abala fortemente os quatro cantos do planeta. Pesquisadores britânicos afirmam que encontraram a primeira droga que, comprovadamente, reduz a incidência de mortes pela covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com cientistas da Universidade de Oxford, em resultados apresentados hoje, houve redução de um terço das mortes em pacientes que precisavam de tratamento com oxigênio e receberam o corticoide dexametasona. A droga é de baixo custo, e o Ministério da Saúde do Reino Unido confirmou que vai inclui-lo no tratamento da covid-19 – a OMS (Organização Mundial da Saúde) ainda não se pronunciou.
Segundo eles, um estudo que será publicado nos próximos dias mostra os resultados para 2.104 pacientes selecionados aleatoriamente, que foram medicados com a dexametasona, por via oral ou intravenosa. Eles foram comparados a 4.321 pacientes tratados convencionalmente.
Os números mostram que a redução de mortes foi de 35% para pacientes que precisavam de tratamento com respiradores e 20% para os que precisavam de suporte de oxigênio. Não houve registro de que a droga seja eficiente em casos menos severos.
“Este é um resultado extremamente bem-vindo”, disse Peter Horby, da Universidade de Oxford, em comunicado reproduzido pela agência AP. “O benefício da sobrevivência é claro e amplo nestes pacientes que estavam doentes o suficiente para precisarem de tratamento com oxigênio. Então, a dexametasona pode agora se tornar padrão no cuidado destes pacientes.”
Ele ainda acrescentou: “A dexametasona é barata nas prateleiras e pode ser usada imediatamente para salvar vidas ao redor do mundo”.
Nick Cammack, um dos responsáveis pela Wellcome, projeto de caridade que banca pesquisas científicas, afirmou que, ainda que a droga só ajude em casos severos, “inúmeras vidas podem ser salvas pelo mundo”. Outras entidades financiam os estudos, como a fundação de Bill e Melinda Gates.
“Dexametasona agora precisa ser liberada e acessada pelas milhares de pessoas doentes pelo mundo. Ela é fácil de ser fabricada, barata, pode ser produzida rapidamente e precisa apenas de uma pequena dose”, defendeu Cammack.
Corticoides agem reduzindo inflamações, um problema que é causado pela covid-19, quando ela faz com que o sistema imune atue para tentar frear o coronavírus. A reação forte do sistema imune pode ser fatal, então, médicos começaram a testar esteroides e anti-inflamatórios em pacientes.
Os pesquisadores estimam que o uso pode prevenir uma em cada oito mortes de pacientes que estão em respiradores e um em cada 25 pacientes recebendo auxílio com oxigênio.
Este estudo é o mesmo que mostrou neste mês que a hidroxicloroquina não mostrava eficácia contra o coronavírus. 11 mil pacientes da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte foram tratados com os protocolos comuns ou com um dos seguintes medicamentos: hidroxicloroquina, dexametasona, um combo anti-HIV, azitromicina, tocilizumabe, ou plasma de pessoas que se recuperaram da covid-19 e apresentavam anticorpos contra o coronavírus.

Reino Unido inclui droga no tratamento
O Reino Unido começará a administrar imediatamente dexametasona aos pacientes com covid-19, conforme anunciou hoje o ministro da Saúde, Matt Hancock, depois que o estudo demonstrou que o corticoide salvou as vidas de um terço dos casos mais graves.
“Estamos trabalhando com o Serviço Nacional de Saúde para que o tratamento padrão contra a COVID-19 inclua a dexametasona a partir desta tarde”, disse Hancock. Fonte: UOL.

Mais De 70% Dos Negros Enfrentam a Pandemia Sem Reservas Financeiras

Instituto Locomotiva fez estudo a pedido da Central Única das Favelas

Agência Brasil - Não tinham nenhuma reserva financeira no início da pandemia de coronavírus, 71% dos negros no país, segundo estudo divulgado hoje (17) pelo Instituto Locomotiva feito a pedido da Central Única das Favelas. Entre os 29% que tinham dinheiro guardado, 12% já usou todo o recurso e 23% gastou a maior parte para se manter durante a crise.
A pesquisa mostra que a crise econômica afetou de forma desigual as famílias negras e brancas. Segundo o levantamento, 73% das pessoas pretas e pardas tiveram redução na renda devido à pandemia, índice que cai para 60% entre as brancas. Quase a metade das negras (49%) disse que deixou de pagar alguma conta no período, enquanto o percentual ficou em 32% para as brancas.
Mesmo as políticas governamentais impactam, segundo a pesquisa, de forma diferente a população negra. De acordo com o estudo, mais negros (43%) do que brancos (37%) pediram o auxílio emergencial do governo federal. Mas, entre os que pediram, o percentual de atendidos é menor entre a população negra (74%) do que entre a branca (81%).
O presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meireles, destaca que esse tipo de resultado está ligado a questões estruturais do racismo no Brasil. Ele lembra, por exemplo, que 49% dos brancos que acessam a internet têm computador. Enquanto, o percentual cai para 38% entre os pardos e para 34% entre os pretos, que muitas vezes vão acessar a rede apenas pelo celular. “Estudar ou ter acesso ao auxílio emergencial é diferente entre os negros e os brancos”, enfatiza sobre a diferença que faz ter um computador em casa.

Classe e renda
Essa diferença de condições materiais também aparece em outros dados da pesquisa. Segundo o estudo, as classes D e E são compostas majoritariamente por pessoas negras (76%). Por outro lado, As classes A e B são na maioria (63%) brancas. “Três quartos dos pobres são negros e dois terços dos ricos são brancos”, resumiu Meireles.
A renda média das pessoas negras é, segundo a pesquisa, de R$ 1.764 por mês e das brancas, de R$ 3.100. O estudo mostra que isso está ligado a uma menor proporção de negros em posições melhor remuneradas: 90% dos negros ganham até R$ 3.060 e a mesma proporção de brancos recebe até R$ 6.122. Quando o patamar é mais alto, a desigualdade é ainda maior, 95% dos negros têm rendimentos de até R$ 4.591, valor que chega a R$ 10.187 entre a população branca.
Ao observar especificamente os cargos de chefia, a pesquisa constata que 66% dos brasileiros têm chefes brancos, 21% pardos e 10% pretos. “O que mostra uma dificuldade real de promoção dentro das empresas da população negra”, enfatiza Meireles.
Mesmo com qualificação, a diferença de remuneração permanece. Os homens negros com ensino superior recebem em média R$ 4.990 e as mulheres negras, R$ 3.067. Os homens brancos com diploma tem um salário médio de R$ 7.286 e as mulheres brancas, R$ 4.566.
Fora isso, há uma desigualdade no próprio acesso à educação. Entre os homens negros com mais de 25 anos, apenas 9% têm ensino superior, índice que fica em 13% para as mulheres negras. Em relação aos homens brancos na mesma faixa de idade, 23% têm diploma, percentual que chega em 27% entre as mulheres brancas.

Racismo cotidiano
O estudo também mostra como o racismo ocorre nas relações sociais e interpessoais. Para 18% dos brasileiros não é um problema fazer piada sobre pessoas negras. “Nós temos 30 milhões de brasileiros que acham que não tem problema em fazer piada sobre pessoas negras”, ressalta o presidente do Instituto Locomotiva.
Constrangimentos como ser seguido por seguranças em lojas ou centros comerciais também afetam mais as pessoas de acordo com a cor da pele. Já passaram por esse tipo de situação 19% dos brancos, 35% dos pardos, com um percentual que sobe entre os pretos (50%).

Bióloga Aponta Brasil Como Pior País No Enfrentamento Ao Coronavírus: 'Prêmio Que Eu Não Gostaria De Merecer'

Especialista afirma que governo federal não tem coordenação ou estratégia para melhorar situação do país

A bióloga e presidente do Instituto Questão de Ciência, Natalia Pasternak, falou da situação do país em meio à desordem da pandemia de coronavírus. Em entrevista a Mário Kertész durante o Jornal da Metrópole no Ar da Rádio Metrópole de hoje (17). Ela comentou que o ritmo de crescimento da doença impede que a situação seja considerada favorável ao retorno à vida normal ainda neste ano. Para a cientista, parte desse problema pode ser compreendido por conta do movimento negacionista.
"É sempre mais difícil ser reativo do que proativo. Quando falamos de comunicar ciência, nosso sonho seria poder comunicar os avanços, a beleza e mostrar tudo o que a ciência traz no dia a dia. Mas, infelizmente por conta desses movimentos anticiência, a gente acaba tendo um trabalho muito mais reativo e fica preso a desmentir e negar coisas que estão circulando. Geralmente acabam levando notícias falsas e falsas esperanças para a população, como curas milagrosas. Isso tudo é misturado com uma polarização política muito forte", disse Pasternak.
Ainda segundo a bióloga, a situação se agrava quando esse posicionamento é adotado pelas autoridades políticas dos países. "Não consigo entrar na cabeça desses líderes e entender como que não enxergam e como não conseguem ver as evidências que estão ali diante do nariz. Quando conseguem, mudam de ideia. O caso do Boris Johnson no Reino Unido foi bem interessante e emblemático. Ele começou negando fortemente a ciência e defendeu a imunidade de rebanho. De repente, ele ficou doente, se viu dentro de um hospitais e sob os cuidados de profissionais de saúde, inclusive imigrantes, que iam muito contra a política dele de ter saído da União Europeia", afirmou. 
Natalia Pasternak comentou que o enfrentamento do Brasil contra o coronavírus é considerado "o pior do mundo". "Nunca vamos saber ser isso é reflexo de total ignorância, que não sabe como funciona, ou se é movido por motivos político-ideológicos ou má-fé. O resultado é assustador. Estamos sem liderança no combate à pandemia e sem ministro da Saúde há mais de um mês, sendo que os últimos dois foram demitidos porque não concordaram com a postura do presidente. É uma situação onde realmente o Brasil parece ser o pior país com enfrentamento da pandemia até agora. É um prêmio que eu, realmente, não gostaria de merecer", declarou a especialista. 
Ela ainda elogiou a coordenação entre o prefeito de Salvador, ACM Neto, e o governador da Bahia, Rui Costa, no combate à Covid-19. "Dá um desespero. A gente não consegue ver como sair dessa situação enquanto a gente continuar com esse governo federal. A situação na Bahia e de Salvador é bonita. Esse é o momento de passar por cima das diferenças política", comentou.