domingo, 7 de junho de 2020

Serrinha Registra 7 Novos Casos De Coronavírus; Veja Cidades Na Região


O boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, divulgado na noite deste sábado (6), aponta que Serrinha registrou sete novos casos de coronavírus. Com a atualização, a cidade saiu de 111 casos na sexta-feira (5) para 118 casos confirmados da Covid-19. O boletim apontou os 34 locais com registros da doença. São eles:

Centro: 19
Vaquejada: 14
Cidade Nova: 13
Novo Horizonte:7
Cruzeiro:9
Bomba: 4
Vila de Fátima: 3
Abóboras: 3
Ginásio: 6
Cajueiro: 3
CSU: 2
Colina das Mangueiras: 2
Oseás: 1
Urbis I: 4
Princesa do Agreste: 1
Rodoviária: 1
Treze: 1
Urbis II: 1
Vista Alegre: 1
Vila Novaes: 1
Rodagem: 1
Veludo: 1
Retiro: 1
Alto da Isabel: 1
Lagoa do Mato: 1
Juazeirinho de Mombaça: 1
Brejo: 1
Alto de Fora: 3
Mandacaru II: 1
Povoado Dois Irmãos: 1
Estação: 4
Santa: 2
Saco do Correio:2
Cabeça da Vaca: 1
Água Boa: 1

Nos dados atualizados neste sábado, o município tem 36 casos de pessoas que testaram positivo para o coronavírus e já se curaram. Dois idosos de 85 e 92 anos morreram por causa da doença. A cidade segue com mais registros positivos na região do Sisal. Ao todo, são 529 casos no território [Veja tabela abaixo].

Araci: 27 confirmados e 1 óbito
Barrocas: 18
Biritinga: 3
Candeal: 12
Cansanção: 19
Conceição do Coité: 49
Itiúba: 6 confirmados e 1 óbito
Lamarão: 8
Monte Santo: 8 confirmados e 1 óbito
Nordestina: 12
Queimadas: 16
Retirolândia: 20
Santaluz: 19
São Domingos: 4
Tucano: 11
Teofilândia: 98
Valente: 81 confirmados e 3 óbitos

Fonte: Portal Clériston Silva.

'Síndrome Da Máscara': Badaró Explica Dor De Cabeça e Problemas Na Garganta Por Uso Do Equipamento

De acordo com o infectologista, síndrome apontada por ele é consequência do uso prolongado das máscaras, o que pode dar falsa sensação de estar com Covid-19

O médico infectologista Roberto Badaró apontou a existência de uma síndrome ocasionada pelo uso prolongado da máscara por conta das medidas de isolamento contra o coronavírus. Em entrevista a Mário Kertész hoje (5), durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole, ele afirmou que, por conta da prevenção da Covid-19, algumas pessoas saudáveis podem desenvolver o que ele chamou de Síndrome Respiratória Populacional da Máscara.
"Várias pessoas, meus filhos me ligam toda hora e pacientes vêm fazer consulta por conta da sensação de falta de ar. A máscara usada o dia inteiro faz uma concentração de CO2 maior e faz com que você aumente a frequência respiratória. Não é uma coisa falsa, ela não está inventando, é real. Uma consequência da prevenção e começa a procurar o médico", declarou Badaró.
"Já há o receio e que a Covid causa doença respiratória. Vai fazer o teste, corre o risco de ter um falso positivo e instala-se o pânico desnecessário. Faz a tomografia e não tem nada", acrescentou. No entanto, ele reforça que a síndrome não causa problemas respiratórios e se limita a causar a impressão e desconforto. 
Ainda de acordo com Badaró, o problema também pode ocasionar sensações estranhas na garganta. "Outra coisa também é a aeração da máscara que é ruim, seca muito a garganta e a faringe. Dá a sensação de que você está com o problema. Temos que alertar isso porque muitas pessoas estão indo para os médicos sem ter nada. Faz o teste PCR positivo, mas pode não corresponder", disse o infectologista.  Fonte: Metro1.

Casa Branca Projeta 5.000 Mortes Diárias Por Covid-19 No Brasil Em Agosto

O IHME, instituto de métrica da Universidade de Washington, projeta mais de 165 mil mortes no país até agosto

O IHME, instituto de métrica da Universidade de Washington, com um dos principais modelos utilizados pela Casa Branca para monitorar os números sobre o coronavírus atualizou com piora o cenário no Brasil e agora projeta mais de 165 mil mortes no país até agosto, com 5 mil mortes em um único dia no início daquele mês. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo.
Em maio, quando o IHME divulgou pela primeira vez dados sobre o Brasil, a previsão era de que 88 mil pessoas morressem por Covid-19 até 4 de agosto no país.
No fim do mês, esse número foi atualizado para cerca de 125 mil óbitos até agosto e, agora, no início de junho, a segunda atualização elevou a previsão para 165.960 mortes até lá.
Com mais de 647 mil casos confirmados, o Brasil escalou para o segundo lugar em diagnósticos no mundo, atrás somente dos EUA, que tem mais de 1,9 milhão. Fonte: Metro1.

Bolsonaro Tem Papel De 'Causar Explosão' Para Permitir Ação 'Reparadora' De Militares, Diz Antropólogo

 
Estudioso crê que 'explosão' Bolsonaro é plano militar

Desde o começo dos anos 90, o antropólogo e professor da Universidade Federal de São Carlos Piero Leirner faz pesquisas com militares. Durante esse período, estabeleceu com integrantes das Forças Armadas uma relação que classifica como sendo de "desconfiança mútua".
Apesar das dificuldades, ele conseguiu manter pesquisas que tratam principalmente da hierarquia nas organizações militares do Exército Brasileiro, como a Escola de Comando e Estado Maior.
Em entrevista à BBC News Brasil, ele afirma que a atual escalada do conflito político não é acidental. Para Leirner, ela faz parte do projeto dos militares para o país e inclui Bolsonaro em um papel bem específico: "funcionar como uma espécie de 'para-raios sem fio terra'".
"Ele causa a explosão, para possibilitar a ação reparadora dos bombeiros", diz o antropólogo, que está prestes a publicar um livro sobre guerras híbridas.

Piero Leirner traça um panorama sobre a atuação dos militares no governo Bolsonaro, e afirma que "não é uma questão de se os militares aprovam ou não o governo: eles são o governo".
Leia os principais trechos da entrevista, concedida por e-mail:
BBC News Brasil - Como os militares embarcaram no governo Bolsonaro?
Piero Leirner - A pergunta poderia ser invertida: "Como Bolsonaro embarcou no governo dos militares?" Vejo matérias e entrevistas com alguns generais que já estavam na reserva, e agora estão no núcleo do governo, dizendo que "aderiram" à candidatura "em cima da hora", em 2018, e fico me perguntando: por que, então, os colegas deles que estavam na ativa começaram a campanha pró-Bolsonaro tão antes?
Embora representasse um risco e até uma ilegalidade, isso era visível desde novembro de 2014. Dias após o segundo turno que reelegeu Dilma Rousseff, Bolsonaro foi à formatura dos cadetes na Academia Militar das Agulhas Negras e fez um discurso se lançando candidato em 2018. Saiu de lá aclamado como "líder!". Esse tipo de ato só é possível se houver autorização do comandante da Academia. E, como Bolsonaro repetiu a visita em 2015, 2016, 2017 e 2018, posso afirmar que ele contou com o conhecimento do Comandante do Exército e com o descaso dos Ministros da Defesa e dos Presidentes da República.
Deixar a política entrar nos quartéis dessa maneira compromete o Estado como um todo. Por um lado, os civis não deram a menor bola para esses eventos, pois não conseguiram pensar o papel da instituição militar no país. De outro, os militares sabem muito bem o que significa um político entrar numa instalação militar e fazer campanha, lobby, articulação etc... Bolsonaro fez tudo isso sozinho? Não. Foi o topo da cadeia de comando que ligou a ignição para um projeto político de, pelo menos, quatro anos. Fonte: BBC News.