segunda-feira, 13 de abril de 2020

Moraes Moreira Morre Aos 72 Anos, No Rio


De acordo com a assessoria de imprensa do músico, ele teve um infarto agudo do miocárdio e morreu às 6h. Tinha 72 anos.

Agência Brasil - O cantor e compositor Moraes Moreira foi encontrado morto na manhã de hoje (13) em casa, na Gávea, no Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria de imprensa do músico, ele teve um infarto agudo do miocárdio e morreu às 6h. Tinha 72 anos.
Em Ituaçu (BA), o irmão Eduardo Moraes recebeu a notícia. Segundo ele, foi a governanta que encontrou o corpo de Moraes. "Ele morreu em casa, onde morava, no Rio de Janeiro. A governanta foi limpar o apartamento e encontrou ele morto”, disse.
Segundo o irmão, ele estava “sossegado, de quarentena e preocupado com a pandemia” do novo coronavírus (covid-19).
Nascido em Ituaçu, Antônio Carlos Moraes Pires, conhecido como Moraes Moreira, é ex-integrante do grupo Novos Baianos, composto por Baby do Brasil, Pepeu Gomes, Paulinho Boca de Cantor, Dadi e Luiz Galvão, entre outros. Seguia carreira solo desde 1975.
Foi Paulinho Boca de Cantor que entrou em contato com a família de Pepeu Gomes na manhã de hoje. A esposa dele, Simone Sobrinho, foi quem atendeu o telefone. “Recebi essa notícia da esposa dele, porque ele estava passando mal. Eu fiquei toda trêmula”. Pepeu ainda dormia.
A morte repercutiu nas redes sociais, com dezenas de mensagens do Brasil e do exterior em homenagem a Moraes Moreira, de artistas, políticos e fãs.
Moreira ainda produzia até dias atrás. Em uma das últimas postagens que fez nas redes sociais, ele falava sobre o período de isolamento social. "Oi, pessoal, estou aqui na Gávea, entre minha casa e o escritório que ficam próximos. Cumprindo minha quarentena, tocando e escrevendo sem parar".
A assessoria informou ainda que seguindo as recomendações de isolamento social para combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19), a família não irá divulgar nem a data nem a hora do velório para evitar aglomeração. Eles pedem a quem quiser homenagear Moreira que siga escutando a obra dele.

Quase 450 Mil Pessoas Já Se Recuperaram Após Contaminação Por Coronavírus No Mundo


A maioria das vítimas curadas está na China; país com mais casos, EUA ocupa quinta posição

O número de pacientes recuperados após contaminação pelo novo coronavírus em todo o mundo ultrapassou a marca dos 400 mil. De acordo com mapa da Covid-19 feito pela Universidade Johns Hopkins, 441.323 pessoas já haviam sido curadas até 12h30 de hoje (13).
A maioria das vítimas que não possuem mais a doença está na China (78.036), seguida da Espanha (64.727) e da Alemanha (64.300). 
Os Estados Unidos, país com o maior número de casos (558.526 do total de 1.870.076), registra 42.018 recuperados e ocupa a quinta posição do ranking, atrás do Irã (45.983).

Ministro De Saúde Diz Que Maio e Junho Serão Os Meses 'Mais Duros'


O ministro de Saúde, Luiz Henrique Mandetta, passou este domingo (12) de Páscoa junto com a família do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), em Goiânia. Direto do Palácio das Esmeraldas, sede do governo goiano, ele afirmou, em entrevista ao Fantástico, que o pico do coronavírus será em maio e junho e pediu que o Brasil não desista do isolamento.
"Maio e junho serão, realmente, os nossos meses mais duros. A gente tem diferentes realidades. O Brasil a gente não pode comparar com um país pequeno, como é a Espanha, como é a Itália, a Grécia, Macedônia e até a Inglaterra. Nós somos o próprio continente. Serão dias duros", disse.
Antes de vir a Goiânia, o ministro visitou, no sábado (11), junto ao presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido), as obras do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, que receberá pacientes com coronavírus no Entorno do Distrito Federal. Durante a entrevista, Mandetta falou sobre a postura do presidente de cumprimentar apoiadores que se aglomeraram para vê-lo.
"Preocupa, porque a população olha e fala: 'Mas será que o ministro é contra o presidente?'. Não há ninguém contra nem a favor de nada. O nosso inimigo é o coronavírus. Se eu estou ministro da Saúde, é por obra de nomeação do presidente. O presidente olha pelo lado da economia. O Ministério da Saúde entende a economia, entende a cultura e educação, mas chama pelo lado de equilíbrio e de proteção à vida", disse.
Eu espero uma fala única, uma fala unificada, porque isso leva para o brasileiro uma dubiedade, ele não sabe se ele escuta o ministro da Saúde ou se ele escuta o presidente, completou Mandetta.
A decisão do ministro de passar o domingo em Goiânia não fazia parte da agenda oficial e aconteceu depois de um convite do governador. “Governador Ronaldo Caiado é como um irmão mais velho, uma espécie de ‘paizão’. Então, ele me convidou, eu aceitei, vim aqui com minha esposa e almoçamos juntos hoje, rezamos juntos hoje com a família dele, ele me emprestou um pouquinho da família dele para recarregar as baterias. Por causa disso, eu vim pra cá”, contou Mandetta.
O ministro reforçou a necessidade do isolamento social para evitar a disseminação do vírus. “Quando você vê as pessoas entrando em padaria, entrando em supermercado, fazendo filas uma atrás da outra, encostadas, grudadas, pessoas fazendo piquenique em parque, isso é claramente uma coisa equivocada”, disse Mandetta. O ministro voltou para Brasília ainda na noite deste domingo e segue com os compromissos normais.
Coronavírus no Brasil - As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 20h30 deste domingo (12), 22.318 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 1.230 mortes pela Covid-19.

Brasileiro Não Sabe Se Escuta o Ministro Ou o Presidente, Diz Mandetta


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que o brasileiro não sabe se escuta o presidente da República, Jair Bolsonaro, ou ele próprio, o ministro, ao seguir orientações para o combate à pandemia do coronavírus. “Essa crise tem gente que a olha pela informação, pelo lado da cultura. O presidente olha pelo lado da economia. O Ministério da Saúde entende a economia, entende a cultura e educação, mas chama pelo lado de equilíbrio e proteção à vida. Eu espero que essa validação dos diferentes modelos de enfrentação possa ser comum e termos uma ala única, uma fala unificada. Porque isso leva pro brasileiro uma dubiedade. Ele não sabe se ele escuta o ministro da Saúde, se ele escuta o presidente, quem é que ele escuta”, disse Mandetta em entrevista exclusiva exibida na noite deste domingo (12) no Fantástico. Fonte | Notícias de Santaluz.


Motorista Não Sobrevive Após Capotamento Na BA120


Um homem identificado como Antônio Carlos Cajayba morreu quando estava sendo transferido na noite de domingo,12, em consequência de um acidente tipo capotamento na BA 120, no município de Queimadas.
Segundo o Site Notícias de Santaluz, Cajayba conduzia uma caminhonete quando por volta das 16h capotou na altura do Povoado Jacurici da Ponte, saída para a cidade de Nordestina.
 
Foto reprodução

De acordo com relatos de populares, o motorista perdeu o controle da direção do veículo em uma curva. O carro ficou parcialmente destruído. Toninho, como a vítima também é conhecida, foi levado inicialmente para o hospital da cidade de Queimadas com suspeita de fratura nas costelas. Ele foi atendido e em seguida encaminhado para outra unidade médica em Feira de Santana ou Salvador, mas não resistiu. Fonte | Notícias de Santaluz.

Transmissão Do Coronavírus Cai 27% Na Bahia Com Medidas De Restrição, Diz Estudo


Informações são de boletim da Rede CoVida, iniciativa conjunta do Cidacs/Fiocruz e da UFBA

Boletim da "Rede CoVida – Ciência, Informação e Solidariedade” divulgado hoje (13) aponta que a Bahia, mesmo com aumento no número de casos, teve redução de 27% da taxa de transmissão do coronavírus, devido a medidas de restrição de circulação adotadas. Confira aqui a íntegra.
A rede é um projeto de colaboração científica e multidisciplinar com objetivo de monitorar a pandemia. É uma iniciativa conjunta do Cidacs/Fiocruz e da UFBA, com apoio de colaboradores de outras instituições de pesquisa nacionais e internacionais.
A análise dos dados sugere “fortemente, que as medidas de distanciamento social e redução do fluxo de transportes intermunicipais vêm achatando a curva da epidemia” no estado. 
O boletim cita que a Bahia começou a notificar casos confirmados de Covid-19 em 6 de março. Entre 17 e 28 de março, várias ações gradativas foram tomadas no estado, como o fechamento de unidades de ensino.
O estudo sugere que, desde dia 26 de março, a Bahia passou a registrar redução na taxa de transmissão do Covid-19, o que pode ser observado no gráfico divulgado, pelo deslocamento das curvas que representam o avanço da pandemia na ausência de intervenção (em vermelho) e com a adoção das medidas de intervenção (em azul).
“É válido ressaltar que, embora haja crescimento no número de casos em ambos os  cenários, a intensidade deste aumento é menor quando medidas de isolamento e restrição à circulação são adotadas. Para ilustrar este efeito, até o dia 6 de abril, foram confirmados 437 casos de Covid-19 no estado da Bahia. No entanto, no modelo sem nenhuma intervenção, seriam projetados mais de 800 casos até aquele dia”, diz o boletim.
Também conforme o boletim, a suspensão do fluxo de transporte intermunicipal em apenas 10% dos municípios baianos foi suficiente para gerar um atraso entre os picos de infecção de Salvador e demais municípios.
O estudo aponta também que os resultados reforçam a importância da manutenção das medidas de isolamento social na Bahia, já que os efeitos das intervenções só funcionarão se estas estratégias foram mantidas por certo período de tempo e se a taxa de transmissão for reduzida de forma suficiente.