quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Guanambi: Mãe e Filha Morrem Em Poço De 6 Metros Na Bahia; Mulher Se Jogou Para Salvar Criança De Afogamento


Uma mulher de 35 anos e a filha dela, de 4, morreram após a mulher tentar salvar a criança de um afogamento em um poço da zona rural de Guanambi, cidade do sudoeste da Bahia. 
A informação foi confirmada pela 17ª Batalhão de Polícia Militar (BPM), que atende a região. Segundo a polícia, o caso ocorreu na comunidade Fazenda Olho D’água do Iço, nas proximidades do povoado de Suruá, por volta das 18h de segunda-feira (10).
Luciene Cruz Silva lavava roupas quando a filha dela, Vitória Cruz Silva, caiu em uma espécie de poço, com profundidade de seis metros, ao tentar pegar uma sandália. 
Ao ver a situação, a mulher se jogou para tentar salvar a menina, mas as duas morreram no local. 
Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade. 
Não há informações sobre os enterros. Por G1 BA.


Polícia Baiana Trabalha Em Mais Dois Laudos Sobre a Morte De Adriano Da Nóbrega

 

Além da necropsia, que mostrou que Adriano da Nóbrega morreu com tiros no tórax e no pescoço, a Polícia Técnica da Bahia ainda concluirá dois laudos, um com a perícia sobre o local do crime e outro com o exame de balística.
O primeiro deverá apontar a dinâmica do confronto, reconstruindo a cena do crime e os locais exatos de onde partiram os tiros dos dois lados; o segundo comprovará de que arma partiram os disparos. A perícia ainda trabalha na análise desses elementos e deverá entregar os documentos somente na semana que vem.
Os celulares e armas apreendidas com Adriano serão analisadas pela Polícia Civil do Rio, para onde o material já foi enviado.
A Corregedoria da Polícia Militar, que apura como ocorreu o confronto, já ouviu os oito policiais diretamente envolvidos no confronto e, até o momento, não apontou nenhuma irregularidade na conduta dos agentes. As informações são do site O Antagonista.


Paulo Guedes Diz Que Dólar Baixo Era Ruim Para o Brasil: "Tinha Empregada Doméstica Indo Pra Disneylândia, Peraí"

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Nesta quarta, o dólar bateu o quarto recorde consecutivo em relação ao real. A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 4,3505, em alta de 0,55%, sendo o maior nível registrado desde criação do real.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou nesta quarta-feira, 12, o período em que a moeda brasileira estava mais valorizada internacionalmente. Em Brasília, durante o discurso no Seminário de Abertura do Ano Legislativo da Revista Voto, ele se referiu a tal época como “uma festa danada”. Ao comentar sobre a alta do dólar, Paulo Guedes afirmou que isso era “bom para todo mundo” e que pode substituir importações por exportações, incluindo no setor de turismo. O ministro recomendou que as pessoas viajem pelo Brasil.
Em seu discurso ao tratar do turismo e o impacto com a compensação monetária entre dólar e real, ele afirmou que o câmbio já não é mais o mesmo e que mudou para melhor. “Não tem mais negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada. Pera aí”. O ministro ainda recomendou que ao invés de as pessoas terem vontade de ir para a Disney, as pessoas deveriam aproveitar esse momento para “passear pelo Brasil”. “Vai conhecer o Brasil. Está cheio de coisa bonita para ver”, completou Guedes.
Nesta quarta, o dólar bateu o quarto recorde consecutivo em relação ao real. A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 4,3505, em alta de 0,55%, sendo o maior nível registrado desde criação do real. Segundo o discurso do ministro, o cenário econômico atual, composto por juros baixos e câmbio alto, é bom porque aumenta as exportações e substitui importações, inclusive no turismo.
Ao continuar o discurso, o ministro ainda comentou que não queria notícias falando que ele havia criticado o fato de que empregadas domésticas estavam indo para a Disney no período em que o dólar estava em baixa. Ele falou “o ministro está dizendo que o câmbio estava tão barato que todo mundo está indo para a Disneylândia, até as classes sociais mais…”. Paulo Guedes interrompeu sua fala neste momento e voltou a indicar que os brasileiros começassem a procurar destinos turísticos no próprio país. Fonte site O Povo.