WEB RADIO RMSOM | AUTO DJ 24 HRS

domingo, 28 de agosto de 2016

Simone & Simaria: Milionárias, Elas Contam Como Atingiram o Sucesso


O início de tudo:
Simaria: “Nós somos de Uibaí, interior da Bahia. Começamos a cantar muito cedo. Eu, desde pequena, já cantarolava. Aos 6 anos, comecei a participar de concursos de calouro na cidade onde morávamos e, graças a Deus, sempre ganhava. Quando a Simone cresceu, passou a participar comigo e não paramos mais. Tudo começou assim”. 

Dupla de backing vocals:
Simaria: “O Frank Aguiar me conheceu em uma casa chamada Recanto do Nordeste, eu tinha 14 anos e cantava na Swing do Nordeste. Ele me chamou para um teste – na época, começava a fazer sucesso em São Paulo. Fui aprovada e passei sete anos como backing vocal. A Simone fez teste dois anos depois e entrou na banda. Foi uma fase de muito aprendizado”. 

Pai coragem:
Simone: “Nosso pai era garimpeiro e durante muito tempo ele sonhou em achar um diamante que fosse capaz de mudar a vida da família. Nós passamos por dificuldades enormes – moramos em barraco de lona, de tábua, tomávamos banho de caneca... – enfim, matávamos um leão por dia para conseguir sobreviver”.

Cachê de R$ 100!:
Simone: “Nosso primeiro cachê foi de R$ 100”. 
Simaria: “Quando saímos do Frank e vivíamos com R$ 200 por mês, pensei em desistir”. 

O sucesso começou...
Simone: “Um tempo depois, passamos cinco anos à frente da banda Forró do Muído. Foi uma época excelente. Tocávamos fixas, aos domingos, em uma casa e começamos a conquistar o nosso público, fãs apaixonados pela gente, pela nossa música, que começaram a pedir um CD. Com sete meses, a banda estourou. Foi maravilhoso, mas chegou um momento em que precisávamos seguir o nosso caminho. A decisão foi difícil e relutamos muito, mas sentíamos a necessidade de crescer mais e ter a nossa própria banda”. 

... E o salário aumentou:
Simone: “Quando começamos a ganhar melhor, compramos uma casa para termos o banheiro que desejávamos, já que na infância era um dos nossos desejos. 
Simaria: “Como a Simone comentou, nas épocas mais difíceis não tínhamos banheiro com chuveiro encanado... Então, sonhávamos com um banheiro grande, com boxe e um bom chuveiro (risos)”. 

Encontro com o rei:
Simone: “Graças a Deus, já realizamos muitos dos nossos sonhos – compramos uma boa casa para morar e conseguimos proporcionar uma qualidade de vida melhor para nossa família –, isso era o mais importante. Agora, queremos muito cantar com o Roberto Carlos (risos)”. 

Estouradas no Brasil:
Simone: “Antes de a música Meu Violão e Nosso Cachorro estourar no Brasil, já fazíamos sucesso no Norte e Nordeste. O que mudou agora foi o reconhecimento do público por onde passamos no país todo, porque na rotina fazemos as mesmas coisas, vamos aos mesmos lugares...” 

Amigos sertanejos:
Simaria: “Escolhemos Bruno & Marrone e Jorge & Mateus para participarem do DVD (gravado há um mês em Goiânia), porque somos fãs deles. Admiramos o trabalho, o caráter, a humildade... Além de referências no mercado da música sertaneja, são nossos amigos de verdade”. 

Briga entre irmãs:
Simone: “Como todos os irmãos, nós temos as nossas diferenças, discussões, isso é normal em qualquer relação familiar, ainda mais quando existem questões profissionais no meio. Mas o mais importante é saber respeitá-las e dar o devido espaço de cada uma”. 

Quem manda mais:
Simone: “Não temos papéis definidos, mas como a Simaria está mais à frente das questões burocráticas e administrativas da banda, acabo cantando um pouco mais nos nossos shows”.

Kardashians do Brasil?:
Simaria: “A gente fica feliz com a comparação com as irmãs Kardashian, porque a Kim é um fenômeno, né? Ser comparada com uma beleza daquela é tudo, mas brincamos que somos a Kim Carpaccio mesmo (risos)”. 

Abaixo os abusadinhos:
Simone: “Já aconteceu de um cara ser um pouco mais abusado conosco nos shows, mas todos acabaram se dando mal, porque colocamos a pessoa no devido lugar, exigindo respeito e informando, caso eles não saibam, que somos duas mães de família e muito bem casadas. Nossos fãs nos respeitam muito. Claro, sempre existe um mais atirado, mas nunca passamos por uma situação constrangedora ou que não soubemos contornar”. 

Laços de família:
Simone: “Sou casada com o Kaká Diniz e nós temos o Henry, de 1 ano. A Simaria é casada com o Vicente e tem dois filhos: Giovanna, 3, e o Pawel, de 7 meses. Família é o nosso porto seguro. Batalhamos para dar a eles uma qualidade de vida melhor do que a que tivemos quando éramos pequenas”.

Fonte: Viva Mais.

Sósia De Wesley Safadão Chama Atenção Nas Redes Sociais


A imagem abaixo deixou as pessoas com a pulga atrás da orelha nas redes sociais. 
Quem é o verdadeiro Wesley Safadão? Seria uma montagem? Um clone ou o irmão do cantor?



Na verdade, o clique foi feito durante o encontro entre o ídolo do arrocha e seu cover, Douglas Braga, na quinta-feira, 18, em Piracibaba. Douglas, que venceu o concurso de sósia '100% Safadão' do 'Programa Raul Gil' dividiu o palco e posou ao lado de Wesley, o que deu uma bela confundida na cabeça de todo mundo.


Agora você já sabe através do EGO que não foi obra do Doutor Albieri, nem um caso de separação na maternidade. Impressionante a semelhança, não é mesmo?

Fonte: EGO.

Temer Vai Privatizar Presídios, Creches e Hospitais


O presidente interino, Michel Temer, já definiu quando iniciará o processo programa de concessões em parceria com os estados: será após a viagem que fará à China, para a reunião do G-20. O objetivo é privatizar áreas como hospitais, creches, presídios e saneamento.
Temer quer dar a abertura para o capital privado em todos os setores possíveis, fugindo do formato tradicional de fazer concessões apenas na área de infraestrutura. De acordo com o jornal O globo, os estados receberão uma garantia da União, por meio de seus ativos, para fechar os contratos. O governo estuda usar os Fundos de Participação dos Estados e Municípios como uma segunda garantia para as PPPs darem certo.
"Vamos acabar com o conteúdo nacional exacerbado, que só traz superfaturamento. Só vamos manter aquilo em que formos competitivos. Ao invés de generalizado, será setorizado. Temos que mudar a visão do investimento público, ampliando ao máximo as concessões. Faremos PPPs (parcerias público-privadas) para esgoto, penitenciárias, hospitais e creches, comprando vagas para as crianças. É mais racional do ponto de vista do gasto público", disse um auxiliar de Temer envolvido nos programas (MSN/Br).