terça-feira, 29 de março de 2016

Colisão Frontal Deixa Dois Mortos Na BA-131 Entre Pindobaçu e Saúde


No final da tarde desta quinta-feira (24), Gilson Alves da Silva e João Joaquim da Silva, perderam a vida em uma colisão que envolveu um veículo Gol e um Uno na BA 131, entre as Cidades de Pindobaçu e Saúde.
Uma das vítimas chegou a ser socorrida pelo SAMU 192 para o Hospital de Pindobaçu, mas não resistiu e morreu. O outro morreu no local, onde os veículos ficaram destruídos. Ainda de acordo com informações, no veículo Gol havia uma criança e uma mulher, que foram socorridas para o Hospital de Pindobaçu.
Não há informações sobre as circunstâncias do acidente. 



Informações/Fotos de Augusto Urgente.

Pedra Vermelha: Policia Militar Recupera Computadores Que Foram Roubados Do Sindicato Dos Trabalhadores Rurais


A Policia Militar no comando do Sargento Barbosa e os Soldados Peixinho e Lívio recuperaram na tarde desta Terça-Feira (29/03) por volta das 12:30 9 CPUs, 09 Monitores, 10 Teclados, 9 No-breaks pertencentes ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pedra Vermelha que foi roubado em Dezembro de 2015.
O Material foi encontrado devido a uma denuncia Anonima que apontaram para uma casa abandonada na Fazenda Açude próximo a Pedra Vermelha.
O Material encontra-se na delegacia para averiguação, a Policia continua investigando o caso para poder chega até os meliantes que praticaram o roubo (OSertanejo.net / Fotos: informações Sargento Barbosa).



PMDB Oficializa Saída Do Governo Da Presidente Dilma


Em menos de cinco minutos, o PMDB aprovou há pouco, por aclamação, a moção que ratifica o rompimento do partido com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), com a recomendação de entrega imediata dos cargos no governo federal. No encontro, na Câmara dos Deputados, estavam presentes vários caciques do partido, incluindo o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que acatou o pedido de impeachment contra Dilma, avaliado por uma comissão de parlamentares. No entanto, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não participaram da reunião. 
Logo após abrir os trabalhos, o primeiro vice-presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), leu a moção do peemedebista baiano Geddel Vieira Lima, ex-ministro da Integração Nacional, e informou que havia um entendimento que ela fosse aprovada por aclamação e simbólica, o que ocorreu em seguida. Após a comemoração dos presentes, um grupo gritou, em coro, “Brasil, pra frente, Temer presidente” e Jucá emendou. “A partir de hoje, nessa reunião histórica, o PMDB se retira da base e ninguém no País está autorizado a exercer qualquer cargo federal em nome do PMDB”. Juca encerrou o encontro com um “Viva o Brasil” e membros do partido ainda tiveram tempo para entoar um “Fora PT”.
Apresentada pelo diretório estadual da Bahia, a moção que aprovou o desembarque do PMDB do governo pede a "imediata saída do partido da base de sustentação do governo Dilma Rousseff", com "imediata entrega de todos os cargos", mas não estabelece prazo para entrega desses postos.
Na moção, aprovada por aclamação em uma reunião que durou menos de cinco minutos, o partido defende o desembarque do governo Dilma Rousseff, elencando uma série de problemas. Entre eles, as crises "econômica, moral e política" que, na avaliação do diretório estadual baiano, o Brasil vive e as "escolhas erradas nas ações do governo federal".

A legenda também considera que, embora Michel Temer seja vice-presidente da República, o partido "nunca foi chamado para discutir soluções econômicas ou políticas para o País". No documento, a legenda cita ainda "escândalos de corrupção" que tiveram participação de integrantes do governo, sem especificar que escândalos são esses.
Os peemedebistas afirmam que a "permanência do PMDB na base do governo fomentará uma maior divisão do partido". Essa divisão ficou explícita na própria reunião de hoje. Peemedebistas da ala governista, como o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, não participaram do encontro.
Na moção, o PMDB considera ainda que a manutenção do partido na base aliada do governo Dilma Rousseff vai "de encontro à pretensão" da legenda de lançar candidato próprio na eleição presidencial de 2018 e "principalmente, o anseio do povo brasileiro por mudanças urgentes na economia e política nacional". O partido não cita a palavra impeachment no texto.
"Solicitamos a imediata saída do PMDB da base de sustentação do governo federal com a entrega de todos os cargos em todas as esferas da administração pública federal", conclui o texto da moção aprovada. Leia íntegra da Moção
"Moção N 001/2016
A Sua Excelência o Senhor
Michel Temer
Presidente da Comissão Executiva Nacional do PMDB

Senhor Presidente,
Considerando que o Brasil sofre uma das mais graves crises econômica, moral e política de sua história;
Considerando que a crise é resultante, principalmente, de escolhas erradas nas ações do Governo Federal;
Considerando que o PMDB, embora tenha o Vice Presidente da República e formalmente participe da base do governo, nunca foi chamado para discutir soluções econômicas ou políticas para o país;
Considerando as graves denúncias de participação de integrantes do Governo Federal em escândalos de corrupção;
Considerando que as bases e a militância do PMDB já não concordam integrar o governo da Presidente Dilma Rousseff;
Considerando que a permanência do PMDB na base do governo fomentará uma maior divisão no partido;
Considerando que a manutenção do PMDB no governo vai de encontro à pretensão do partido de lançar candidato próprio na eleição presidencial de 2018;
Considerando, principalmente, o anseio do povo brasileiro por mudanças urgentes na economia e na política nacional;
Solicitamos a imediata saída do PMDB da base de sustentação do Governo Federal, com a entrega de todos os cargos em todas as esferas da Administração Pública Federal.

Delegados do Diretório Estadual do PMDB da Bahia." (Fonte:MSN/Br).

Lívian Aragão Desabafa Sobre o Pai: 'As Pessoas Acham Que Eu Pego Atalhos'


Lívian Aragão está arrasando na atuação quando o assunto é Malhação - Seu Lugar no Mundo, novela teen da Globo onde interpreta Julia. Mas a carreira da atriz não começou agora. Pelo contrário, a filha de Renato Aragão atua desde muito cedo nos filmes do pai, e sempre mostrou que levava jeito para a coisa. No entanto, em entrevista ao jornal Extra, a morena confessou que mesmo estando em um set de filmagem desde bebê, já que logo que nasceu o eterno Didi estava gravando O Trapalhão e a Luz Azul, muitas pessoas pensam que ela tem no pai uma forma de chegar à fama mais facilmente. 
- As pessoas acham que eu pego atalhos com meu pai para entrar numa novela, mas não é bem assim. Eu sempre quis fazer o meu próprio caminho e, por mais que eu tenha o privilégio de ser filha do meu pai, eu vejo isso como uma oportunidade para aprender, e não de achar atalhos.
Sobre o pai, aliás, Lívian ainda comentou:
- Fico (triste por meu pai não estar mais no ar), porque amava o programa dele. Mas ele não para! Está sempre escrevendo algo novo e trabalhando. Quando sinto falta, ligo no Viva para ver a Turma do Didi. Aliás, o melhor conselho que ele já me deu foi mantenha os pés no chão. Levo isso para a vida.
E, apesar da rotina puxada por conta das gravações, Lívian revela que não consegue ficar sem fazer nada: - No meu tempo livre eu gosto de estudar, praticar esporte, dançar, ler, pintar, desenhar... Não consigo ficar parada. Foi isso, inclusive, que fez com a atriz diminuísse dois números no manequim.
Em tempo: Lívian, assim como muitos famosos, resolveram seguir os passos dos pais. Veja quem são os filhos de peixe:

Fonte: MSN/Br.