quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Atriz Yoná Magalhães Morre Aos 80 Anos, No Rio de Janeiro


Uma das primeiras mocinhas das novelas da TV Globo, Yoná morreu nesta terça-feira (20) por conta de complicações após cirurgia no coração.

Morreu na manhã desta terça-feira (20), no Rio de Janeiro, a atriz Yoná Magalhães. Ela estava com 80 anos - e tinha sido internada com problemas no coração.
A televisão ainda nem tinha cores e ela já era uma das grandes atrizes do Brasil. Yoná Magalhães também fez sucesso nos palcos, no rádio, no cinema.
Em 1964, trabalhou com o cineasta Glauber Rocha no clássico ‘Deus e o Diabo na Terra do Sol’.
“Parece que ele injetava talento, pelo menos em mim. Aquela força, aquela emoção dele. E aí, eu me vi no meio daquela maravilha, daquele monte santo lá, com vento batendo e a expressão. Eu vejo hoje: "Gente, eu fiz isso?”, comentou Yoná em entrevista ao Memória Globo.
No Teatro Municipal do Rio de Janeiro, participou da peça ‘Vestido de Noiva’, de Nelson Rodrigues.
Mesmo com o talento reconhecido, ela costumava dizer que virou atriz por necessidade.
“Eu estava no meu segundo ano ginasial para o terceiro, aí, a barra pesou um pouco lá em casa, e papai ficou desempregado, nós tínhamos que ajudar. Mamãe começou a costurar pra fora e eu tinha que ajudar de alguma forma também”, conta a atriz na entrevista.
Yoná Magalhães foi uma das primeiras mocinhas das novelas da Globo. Em "Eu Compro essa Mulher", de 1966, fez par romântico com o galã Carlos Alberto. Foi tão intenso que acabou em casamento na vida real.
“A dupla romântica com Carlos Alberto casou muito bem, aconteceu muito bem essa dupla. A gente, ele é um homem muito bonito e as mulheres ficaram encantadas. Causava grande sensação, foi um frisson”, diz Yoná na entrevista.
Na década de 1980 ela foi um dos destaques em Roque Santeiro como a dona da boate. E aos 50 anos de idade não era só a atuação que chamava a atenção na época.
“Eu comecei a usar as malhas, as coisas, o autor achou legal e tal, o diretor também, então seguimos em frente. E aí começou aquela coisa: "Ih, a Yoná, olha a Yoná está de malha, olha a perna!", relembra a atriz ao Memória Globo.
Ela fez mais de 30 novelas na Globo: Saramandaia, despedida de Solteiro, Senhora do Destino. E a última: Sangue Bom.
“Eu tenho muito orgulho de ter participado de telenovelas, de minisséries, que atestam a extraordinária qualidade da teledramaturgia brasileira. Essas obras, elas são, são aceitas, são reconhecidas com muito sucesso no mundo inteiro” comentou a atriz.
Yoná Magalhães tinha problemas cardíacos. Passou por uma cirurgia no dia 18 de setembro e tentava se recuperar na UTI da Casa de saúde São José, no Rio de Janeiro. Morreu nesta terça-feira (20) às dez da manhã por causa de complicações no pós-operatório.
Carioca do subúrbio, do bairro Lins de Vasconcelos, ela será lembrada pelo talento, pela versatilidade e beleza.
Yoná Magalhães viveu 80 anos e 60 deles para enriquecer a dramaturgia brasileira.