sábado, 25 de abril de 2015

Feira de Santana: Polícia Prende Seguranças Clandestinos Que Se Passavam Por Policiais

Durante a micareta de feira, os falsos seguranças realizavam abordagens na festa agredindo pessoas, diz agentes

Nove pessoas foram detidas ao se passarem, de forma clandestina, por policiais no Circuito Maneca Ferreira, nesta sexta-feira (24). De acordo com os agentes, nenhum dos acusados tinham autorização e formação para atuarem área de segurança da Micareta de Feira de Santana (BA).
Com o grupo, policiais apreenderam coletes com a tarja de agente especial, cartucheiras, pares de algemas, cassetetes e uma faca. Agentes conduziram os acusados a um posto da Polícia Civil. Em entrevista ao Acorda Cidade, o comandante do Policiamento Regional Leste, Coronel Adelmário Xavier, informou que os homens estavam prestando serviços de segurança pública o que não é permitido. O coronel contou ainda que o grupo, no circuito do evento, estavam praticando agressões.
Para o delegado João Rodrigo Uzzum, coordenador Regional de Polícia, os nove acusados praticaram crime de usurpação de função pública e, ainda, crimes contra os cidadãos já que realizavam abordagens na festa agredindo pessoas e conduzindo para delegacias. Os acusados foram atuados em flagrante por crimes de falsidade ideológica, usurpação de função pública e posse ilegal de arma branca.

Fonte: Redação VN.

Presos Bandidos Que Tentaram Roubar Banco Em Monte Santo


Na tarde desta quinta-feira (20), Danilo Souza dos Santos, o “Bahia”, de 28 anos, e Elton Vanderlei Fiúza Santos, o “Zóio”, de 31, foram apresentados à imprensa no auditório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A dupla é acusada de preparar explosivos para detonar agências de bancos em Salvador e em cidades do interior da Bahia.
Danilo e Elton foram presos na localidade de Manguinhos, na Ilha de Itaparica, no dia 27 de março. A polícia apreendeu com os acusados três artefatos explosivos, quatro placas balística, quatro coletes balísticos, munições de calibres 38 e 44 e uma máscara do coringa. Danilo era o responsável pela produção dos explosivos. Questionados pela imprensa sobre o crime, a dupla preferiu não falar sobre o assunto.
(Foto: Rayana Azevêdo)
Material apreendido com a dupla (Foto: Rayana Azevêdo)
Segundo o delegado Jorge Figueiredo, Diretor do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (DRACO), o criminoso informou que aprendeu a manusear explosivos na cidade de São Paulo, onde vivia antes de morar novamente na Bahia. Ele era o único da quadrilha que dominava a função. Enquanto Elton era responsável em auxiliá-lo. “Com a prisão de Danilo certamente desarticulou a quadrilha porque com a prisão dele, essa quadrilha vai tentar se preparar para colocar outro, e isso demanda tempo” ressalta Figueiredo. Rusdenil Franco, diretor adjunto do Departamento de Polícia do Interior (Depin), ratifica a opinião do delegado. “A partir do momento que se investiga e que se faz um trabalho policial e prende a tendência é as quadrilhas se desorganizem”.
A polícia chegou até os criminosos por meio de investigações. De acordo com policiais, Danilo usava uma mochila que foi identificada através de imagens de câmeras de segurança. A dupla já tinha passagem pela polícia em 2013, pelos crimes de roubo a banco, no município de Materlândia, em Belo Horizonte. Agora, eles responderão pelo crime de formação de quadrilha e porte ilegal de artefatos explosivos e munições.
Cada um com uma função:
Segundo informou Figueiredo, a quadrilha responsável pela explosão a caixas eletrônicos no estado da Bahia é composta por 26 integrantes. Cada um tem a função específica para cometer o crime. “O que a polícia tem identificado nos crimes de roubo a banco é que hoje as quadrilhas estão ‘terceirizando’ o serviço, não existe mais uma quadrilha que faz tudo em um banco” afirma.
Delegados Jorge Figueiredo e Rusdenil Franco (Foto: Rayana Azevêdo)
Delegados Jorge Figueiredo e Rusdenil Franco (Foto: Rayana Azevêdo)
Ainda de acordo com o delegado, o banco se divide em várias atividades. “Há pessoas responsáveis pela locação de armas, há integrantes que fornecem veículos, existem também os responsáveis pelo levantamento das agências, da rota de fuga, rota de chegada e o levantamento sobre o policiamento do local”, disse.  A quadrilhava utilizava números variados de integrantes de acordo com o crime. “Cada uma das 14 ocorrências nem sempre eram as mesmas pessoas, em alguns crimes eles utilizavam oito pessoas, algumas vezes 12 ou 14”, complementou.
Investigações:
Além de Danilo e Elton, Adelmo de Souza Reis e os irmãos Melquiades e Deivid Quinto de Jesus, “Binho” e “Gordo” respectivamente, também estão presos. Adelmo e Melquiades foram detidos na cidade de Monte Santo, no dia 26 de março, quando planejavam assaltar quatro agências bancárias da região. Já Deivid foi flagrado em São Félix, em fevereiro, tentando explodir um terminal de autoatendimento. “As investigações estão bem adiantadas, as prisões de outras pessoas da quadrilha que foram identificadas já estão sendo solicitada, boa parte dela daqui do estado”, concluiu o delegado Figueredo.
Período, bancos e cidades baianas que foram o alvo da quadrilha
  • Em Abril, Banco Bradesco, em Santa Teresinha
  • Agosto, Banco Bradesco, Governador Mangabeira
  • Setembro, Banco do Brasil e Bradesco, Tancredo Neves
  • No mesmo mês, dois dias depois: Banco do Bradesco e Brasil na cidade de Crisópolis
  • Outubro, Banco do Brasil, em Acajutiba
  • Outubro, Banco Itaú, na cidade de Imbassaí
  • Outubro,  Banco Itaú em Lauro de Freitas
  • Novembro, Banco do Brasil em Sátiro Dias
  • Fevereiro, Caminho de Areia, em Salvador, Caixa
  • Fevereiro, Banco Bradesco em Itatim
  • Fevereiro, terminal 24 horas, em Porto do Sauípe
  • Fevereiro, Bradesco, em Humildes, em Feira de Santana
  • Março, Caixa econômica, no bairro de Stella Mares em Salvador
  • Março, Caixa Econômica, na Cidade de São Gonçalo

Fonte:Valeranoticias