quarta-feira, 30 de abril de 2014

Reservatórios Chegam Ao Fim do Período Chuvoso Com Menor Nível Desde 2001


O nível dos reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste chegou ao fim do período chuvoso menor do que o esperado pelo governo. 

Na segunda-feira (28), o armazenamento estava em 38,16% da capacidade máxima, o menor registrado desde 2001, quando chegou a 32,18%. A expectativa inicial do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) era que o nível de água dos reservatórios desse sistema, responsável pela geração de 70% da energia consumida no país, estivesse em 43% no final de abril, índice considerado seguro para garantir o abastecimento até o fim do ano.
De acordo com o Programa Mensal de Operação do ONS, a previsão para o armazenamento ao final de abril era 40,6% no início do mês. O índice foi revisto para 38,3% na última semana de abril. Para o fim de maio, a expectativa do ONS é que os reservatórios cheguem a 39,2% de sua capacidade máxima de armazenamento. O diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, informou nesta terça (29) que os estudos técnicos feitos com base na atual situação dos reservatórios e nas condições hidrológicas previstas não indicam a necessidade de adoção de cortes de energia.
“No entanto, caso ocorra um agravamento das condições hidrológicas no período de maio a novembro, diferentemente do que é atualmente esperado, o ONS poderá propor medidas adicionais às autoridades setoriais, de forma que fique garantido o fornecimento de energia elétrica para a sociedade”, disse Chipp, em nota à imprensa. Depois de 2001, ano em que foi determinado o racionamento de energia, o nível dos reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste no final de abril apresentou índices bem mais altos de armazenamento de água. Em 2011, por exemplo, a capacidade estava em 88%. No ano passado, o índice ficou em 62,4% no dia 29 de abril. Da Agência Brasil.

Informações: Portal Jornal da Chapada / Foto: Reprodução/ABr.

Tucano: Motorista Morre Após Carreta Com Arroz Tombar Na BR-116


Um motorista de 49 anos morreu na manhã desta quarta-feira (30) depois que a carreta que ele dirigia tombou na BR-116, próximo à localidade Riacho do Boi, no município de Tucano, a 83 km de Serrinha. As informações são do site Gil Santos Noticias.
Ainda não se sabe quais foram as causas do acidente. 
Conforme o site, o fato ocorreu por volta das 11h40 e o condutor Edson Luiz da Cruz, natural da cidade de Tubarão-SC, ficou preso às ferragens e não resistiu aos ferimentos. A carreta estava carregada de arroz. 
A carga ficou espalhada no acostamento da rodovia. 



Fonte: PCS.

Dorival, 100 Anos de Caymmi


Em um 30 de abril, pelos idos de 1914, a terra boa Salvador recebeu seu filho dileto. Nasce Dorival, sempre Caymmi, que passeou pelas artes desde o primeiro chorar para o mundo. Dorival cantou, compôs, tocou dolente um violão, pintou e atuou. Tudo junto e reunido na maior concentração de arte em um único vivente. E no viver do povo baiano, se inspirou. E na música negra, passeou tons e imagens memoráveis. E no juntar de tantas inspirações, criou um estilo próprio, um novo cantar.
Dorival, filho de Durval e Aurelina, casou com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. De tão musical união, nascem três novos músicos: Dori, Danilo e Nana.
Uma pitada de sangue italiano no frigir da história familiar. O bisavô paterno veio da Itália para trabalhar no reparo do Elevador Lacerda. A música veio cedo, com o pai funcionário público e amador na música, que tocava piano, violão e bandolim. A mãe, mestiça de portugueses e africanos, cantava.
Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, A cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos também são cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi. O menino cresceu, o fonógrafo era amigo e incendiou a vontade de compor. Cantava ele. Cantava ao lado do fonógrafo, no coro da igreja. Aos treze anos começa a trabalhar, interrompendo os estudos. Vai para uma redação de jornal, O Imparcial, como auxiliar. No fechar do jornal, tornou-se um vendedor de bebidas.
A primeira música, “No Sertão”, chega em 1930, e aos 20 anos estréia como cantor e violonista em programas da Rádio Clube da Bahia. Em 1935 o nome está feito, e passa a apresentar o musical Caymmi e suas Canções Praieiras.
Chega 1938. No Ita, Dorival vai para o Rio de Janeiro tentar emprego como jornalista e fazer o preparatório de Direito. Fez alguns poucos trabalhos, em O Jornal, do grupo Diários Associados. Mas a música não mais o deixou, continuando a compor e a cantar. Nesta época conheceu Carlos Lacerda e Samuel Wainer.
Em Junho de 1938 estreou na rádio, cantando duas canções. Como calouro saiu-se bem e dali passou a cantar dois dias por semana. Desta participação a interpretação de “O que é que a Baiana tem?” junta-se a Carmen Miranda. A música virou a própria Carmen, que fez uma carreira no exterior depois de interpretá-la no filme Banana da Terra.
E na malemolência do ficar e partir, do juntar e desunir, Dorival virou filho da terra, Terra Brasil, com suas canções entoadas de norte a sul, leste a oeste, além de nossas fronteiras, no doce balanço do mar da poesia. Um lamento, outro, uma canção, mais uma, povoando a história de nossa música.
Em 16 de agosto de 2008 os sons se movem em direção da memória, e morre Dorival, filho de uma terra pródiga. 

Informações: jornalggn.

VITÓRIA IRÁ NOTIFICAR JORNAL POR GAFE DE ESCUDO COM “VICE”


Conforme antecipado pelo Galáticos Online na manhã desta quarta-feira (30), o jornal “o Globo”, um dos principais periódicos do país, trocou o escudo do Vitória por um símbolo com a palavra “VICE” em sua publicação do dia. O encarte que traz o “erro” é0 sobre o Campeonato Brasileiro e revoltou os rubro negros.
Por conta disso, o presidente do clube, Carlos Falcão, revelou ao Galáticos Online que as medidas cabíveis serão tomadas pelo departamento jurídico do clube, que irá notificar o jornal.
“O departamento jurídico já está estudando o caso para buscar a ação mais apropriada”, resumiu o mandatário rubro negro.
A gafe acontece após o Olodum, a TV Globo, o SBT e a Arena Fonte Nova têm cometido o mesmo equívoco com o símbolo do Leão.

Fonte: galaticosonline.

BAIANOS JÁ PODEM VISITAR A TAÇA DA COPA DO MUNDO

 

Os amantes do futebol da Bahia terão dois dias (30/04  e 1º/05) para chegar perto do objeto de desejo das 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, a taça do Mundial.
O evento conhecido como Tour da Taça foi iniciado em 2006 e já percorreu 90 países. Salvador é a quarta cidade brasileira a receber a taça.
Nesta quarta-feira (30), primeiro dia da visitação, o ex-jogador baiano Bebeto, campeão do mundo em 1994, e vice-campeão mundial em 1998, esteve presente ao evento. “Está ao lado dela é sempre um prazer. Estou muito feliz por estar em minha terra, e tenho certeza que o Brasil vai realizar um grande mundial e se Deus quiser conquistar o hexacampeonato”, destacou.
Quem também esteve no local foi o Secretário Estadual da Copa, Ney Campello, que ressaltou a importância de Salvar ser a sede da Copa do Mundo. “Em 94, a taça que veio com Bebeto, chamada de taça dos campeões, era uma réplica. Essa é original, e o objeto mais cobiçado de todos os jogadores que passarão em junho de 2014 pelo Brasil e pela Bahia. É o maior símbolo da conquista desse grande torneio de futebol, que é a Copa do Mundo. Cada vez mais acelera o coração e aumenta a pulsação do desejo que os baianos têm de que esse evento chegue. A sociedade vai celebrar a Copa e nós vamos estar juntos conquistando e comemorando esse grande momento para o país”, enfatizou Campello.
Além da taça, os visitantes terão a oportunidade de apreciar bolas oficias da Copa do Mundo de 70 até a de 2014, e uma sala com games e vídeos com os melhores lances das Copas.

Fonte: galaticosonline